SELEÇÕES

OFERTAS FANTÁSTICAS

quinta-feira, 30 de abril de 2015

DICAS DE PORTUGUÊS - OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO

DICAS DE PORTUGUÊS
DATAS COMEMORATIVAS
OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO
Era ele que erguia casas
Onde antes so' havia chão.

Como um pássaro sem asas 
Ele subia com as asas
Que lhe brotavam da mão.
Mas tudo desconhecia 
De sua grande missão:
Nao sabia por exemplo
Que a casa de um homem e' um templo
Um templo sem religião
Como tampouco sabia
Que a casa quer ele fazia
Sendo a sua liberdade
Era a sua escravidão.

De fato como podia

Um operário em construção
Compreender porque um tijolo
Valia mais do que um pão?
Tijolos ele empilhava
Com pa', cimento e esquadria
Quanto ao pão, ele o comia
Mas fosse comer tijolo!
E assim o operário ia
Com sour e com cimento
Erguendo uma casa aqui
Adiante um apartamento

Alem uma igreja, à frente
Um quatel e uma prisão:
Prisão de que sofreria
Nao fosse eventuialmente
Um operário em contrucão.
Mas ele desconhecia
Esse fato extraordinário:
Que o operário faz a coisa
E a coisa faz o operário.
De forma que, certo dia
`A mesa, ao cortar o pão
O operário foi tomado

De uma subita emoção
Ao constatar assombrado 
Que tudo naquela mesa
- Garrafa, prato, facão
Era ele quem fazia
Ele, um humilde operário
Um operario em construção.
Olhou em torno: a gamela
Banco, enxerga, caldeirão
Vidro, parede, janela
Casa, cidade, nação!
Tudo, tudo o que existia
Era ele quem os fazia
Ele, um humilde operário
Um operário que sabia 
Exercer a profissão.

Ah, homens de pensamento 
Nao sabereis nunca o quanto 
Aquele humilde operário 
Soube naquele momento 
Naquela casa vazia 
Que ele mesmo levantara
Um mundo novo nascia 
De que sequer suspeitava.
O operário emocionado 
Olhou sua propria mao 
Sua rude mão de operário 
De operário em construção 
E olhando bem para ela 
Teve um segundo a impressão
De que nao havia no mundo 
Coisa que fosse mais bela. 

Foi dentro dessa compreensão 
Desse instante solitário 
Que, tal sua construção 
Cresceu tambem o operário 
Cresceu em alto e profundo 
Em largo e no coração 
E como tudo que cresce 
Ele nao cresceu em vão 
Pois alem do que sabia 
- Excercer a profissão - 
O operário adquiriu.
Uma nova dimensão: 
A dimensão da poesia.

E um fato novo se viu 
Que a todos admirava: 
O que o operário dizia 
Outro operário escutava. 
E foi assim que o operário 
Do edificio em construção 
Que sempre dizia "sim" 
Comecam a dizer "não" 
E aprendeu a notar coisas 
A que nao dava atenção: 
Notou que sua marmita 
Era o prato do patrão 
Que sua cerveja preta 
Era o uisque do patrão 
Que seu macacão de zuarte 
Era o terno do patrão 
Que o casebre onde morava 
Era a mansão do patrão 
Que seus dois pes andarilhjos 
Eram as rodas do patrão 
Que a dureza do seu dia 
Era a noite do patrão 
Que sua imensa fadiga 
Era amiga do patrão. 

E o operário disse: Não! 
E o operário fez-se forte 
Na sua resolução 

Como era de se esperar 
As bocas da delação 
Comecaram a dizer coisas
Aos ouvidos do patrão 
Mas o patrão nao queria 
Nenhuma preocupação. 
- "Convencam-no" do contrário 
Disse ele sobre o operário 
E ao dizer isto sorria. 

Dia seguinte o operário 
Ao sair da construção 
Viu-se subito cercado 
Dos homens da delação 
E sofreu por destinado 
Sua primeira agressão 
Teve seu rosto cuspido 
Teve seu braço quebrado 
Mas quando foi perguntado 
O operário disse: Não! 

Em vao sofrera o operário 
Sua primeira agressão 
Muitas outras seguiram 
Muitas outras seguirão 
Porem, por imprescindivel 
Ao edificio em construção 
Seu trabalho prosseguia 
E todo o seu sofrimento 
Misturava-se ao cimento 
Da construção que crescia. 

Sentindo que a violência 
Nao dobraria o operário 
Um dia tentou o patrão 
Dobra-lo de modo contrário 
De sorte que o foi levando 
Ao alto da construção 
E num momento de tempo 
Mostrou-lhe toda a região 
E apontando-a ao operário 
Fez-lhe esta declaração: 
- Dar-te-ei todo esse poder 
E a sua satisfação 
Porque a mim me foi entregue 
E dou-o a quem quiser. 
Dou-te tempo de lazer 
Dou-te tempo de mulher 
Portanto, tudo o que ver 
Sera' teu se me adorares 
E, ainda mais, se abandonares
O que te faz dizer não. 

Disse e fitou o operário 
Que olhava e refletia 
Mas o que via o operário 
O patrão nunca veria 
O operário via casas 
E dentro das estruturas 
Via coisas, objetos 
Produtos, manufaturas. 
Via tudo o que fazia 
O lucro do seu patrão 
E em cada coisa que via 
Misteriosamente havia 
A marca de sua mão. 
E o operário disse: Não!

- Loucura! - gritou o patrão 
Nao ves o que te dou eu? 
- Mentira! - disse o operário
Nao podes dar-me o que e' meu. 

E um grande silêncio fez-se 
Dentro do seu coração 
Um silêncio de martirios 
Um silêncio de prisão. 
Um siêncio povoado 
De pedidos de perdão 
Um silencio apavorado 
Com o medo em solidão 
Um silêncio de torturas 
E gritos de maldição 
Um silêncio de fraturas 
A se arratarem no chão 
E o operário ouviu a voz 
De todos os seus irmãos 
Os seus irmãos que morreram
Por outros que viverão 
Uma esperanca sincera 
Cresceu no seu coração 
E dentro da tarde mansa 
Agigantou-se a razão 
De um homem pobre e esquecido 
Razao porem que fizera 
Em operário construido 
O operário em construção 


VINICIUS DE MORAES

VIRTUDES - MENSAGEM PARA OS TRABALHADORES

VIRTUDES
DATAS COMEMORATIVAS
MENSAGEM PARA OS TRABALHADORES
Ainda que o trabalho árduo nos tome a mente e o ânimo, ainda que o relógio simule uma disputa contra nós. Se os meus olhos por minutos perderem o brilho. E se – como quase sempre – desistir parecer o mais apropriado…
Por cima das nuvens sabemos que ainda brilha um sol. Que brilhará para sempre. E veremos que por detrás da tempestade esconde-se um lindo dia…
E ali nos dias tristes, nos dias de grande aflição, seremos salvos pelo amor que nos une hoje e que para todo o sempre será só teu.


http://www.belasmensagens.com.br/trabalho/mensagem-para-trabalhadores-758.html

HISTÓRIA - ORAÇÃO DO TRABALHADOR

História
DATAS COMEMORATIVAS
ORAÇÃO DO TRABALHADOR
Jesus, divino trabalhador e amigo dos trabalhadores volvei vosso olhar benigno para o mundo do trabalho.
Nós vos apresentamos as necessidades dos que trabalham intelectual, moral ou materialmente. Bem sabeis como são duros os nossos dias, cheios de canseira, sofrimento e insídia. Vede as nossas penas físicas, morais e repeti aquele brado de vosso coração: “tenho dó deste povo”.
Dai-nos a sabedoria, a virtude e o amor que vos alentou nas vossas laboriosas jornadas, inspirai-nos pensamentos de fé, de paz e moderação, de economia, a fim de procurarmos, com o pão de cada dia, os bens espirituais, para transformarmos a face da terra, completando assim a obra da criação que vós iniciastes. E que vossa luz nos ilumine a nós na busca de melhores leis sociais e ilumine os legisladores a estabelecer uma sociedade de justiça e amor.
Amém!


http://www.belasmensagens.com.br/trabalho/oracao-do-trabalhador-763.html

HISTÓRIA - DIA DO TRABALHO

História
DATAS COMEMORATIVAS
DIA DO TRABALHO
Desde o fim do século XIX, nos Estados Unidos da América, no Brasil e em vários outros países ocidentais, o dia 1º de maio é tido como o Dia do Trabalho ou o Dia do Trabalhador. Tal data foi escolhida em razão de uma onda de manifestações e conflitos violentos que se desencadeou a partir de uma greve geral. Essa greve paralisou os parques industriais da cidade deChicago (EUA), no dia 1º de maio de 1886. Para compreendermos os motivos que levaram os trabalhadores a tal greve e o porquê da escolha desse dia como marco de memória, é necessário conhecer um pouco do contexto do período.
Sabemos que, durante o século XVIII, ocorreu, em solo inglês, um dos acontecimentos mais importantes da história da humanidade: a Revolução Industrial. Da Inglaterra, o processo de industrialização alastrou-se, inicialmente, pela Europa e, depois, para outros continentes, como o americano. Uma das consequências mais patentes da Revolução Industrial foi a formação de grandes centros urbanos, fato que gerou, consequentemente, uma grande concentração de pessoas em seu entorno, sobretudo de operários, cujo trabalho nutria as indústrias.
A formação da classe operária demandou uma série de necessidades que nem sempre era efetivamente cumprida pela burguesia industrial. As horas trabalhadas eram, muitas vezes, excessivas e a relação entre empregado e empregador nem sempre era amistosa. Nesse contexto, surgiram os sindicatos e os movimentos de trabalhadores, orientados por ideologias de esquerda, como o anarquismo (anarcossindicalismo) e o comunismo.
A principal forma de ação das organizações de trabalhadores com vistas à exigência de direitos era a greve. A greve geral tornou-se um instrumento de pressão frequentemente usado. Entretanto, às greves também se juntavam outras práticas, como a ação direta, que consistia em manifestações violentas. A greve geral de 1º de maio de 1886, em Chicago, resultou em forte repressão policial. Tal repressão estimulou ainda mais manifestações que transcorreram nos dias seguintes.
No dia 04 de maio, em uma manifestação na praça Haymarket, na cidade referida, uma bomba explodiu matando sete e ferindo dezenas de pessoas, entre policiais e manifestantes. A explosão de tal bomba provocou o revide dos policias com tiros sobre os manifestantes. Outras dezenas de pessoas morreram na mesma praça. Esse conjunto de eventos, desencadeados a parir de 1º de maio, tornou-se símbolo para as manifestações e lutas por direitos trabalhistas nas décadas seguintes em várias partes do mundo.
No caso específico do Brasil, a menção ao dia 1º de maio começou já na década de 1890, quando a República já estava instituída e começava um processo acentuado do desenvolvimento da indústria brasileira. Nas duas primeiras décadas do século XX, começaram a formar-se os movimentos de trabalhadores organizados, sobretudo em São Paulo e no Rio de janeiro. Entre esses movimentos, também figuravam ideologias como o anarcossindicalismo, de matriz italiana, e o comunismo.
Em 1917, a cidade de São Paulo protagonizou uma das maiores greves gerais já registradas. A força que o movimento dos trabalhadores adquiriu era tamanha que, em 1925, o então presidente Arthur Bernardes acatou a sugestão que já ventilava em várias partes do mundo de reservar o dia 1º de maio como Dia do Trabalho no Brasil. Dessa forma, desde esse ano o 1º de maio passou a ser feriado nacional. Na época do Estado Novo varguista, a data era deliberadamente usada para eventos de autopromoção do governo, com festas para os trabalhadores e muitos discursos demagógicos.
Por Me. Cláudio Fernandes
http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-do-trabalho.htm


VIRTUDES - QUANDO FOSSE

VIRTUDES
Leitura
 QUANDO FOSSE
Do outro lado haviam dúvidas crescentes.
Na caixa de laço, um monte de surpresas a serem reveladas.
Um dia. Uma noite.
Não pergunte quando.
A hora chega sem avisar.
Desavisadamente se sabe das coisas.
E o quando se torna o momento único, que era para ser.
Quando fosse.
Na chuva, os pingos nos "is".
O vento no cabelo.
Molhado por inteiro.
Projetos para fecundar.
Tudo por fazer.
Me diga o quê?
O cabelo molhado.
Quando fosse secar.
Quando fosse voltar.
A ser como antes.
De se molhar.
Na chuva.
Que pingou.
Sobre mim.

M. KIKUTI

                                                  

                                         

LEITURA - HERÓIS DA FÉ

TEOLOGIA
Leitura
 HERÓIS DA FÉ
A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver. Foi pela fé que as pessoas do passado conseguiram a aprovação de Deus. É pela fé que entendemos que o Universo foi criado pela palavra de Deus e que aquilo que pode ser visto foi feito daquilo que não se vê. Sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai a ele precisa crer que ele existe e que recompensa os que procuram conhecê-lo melhor. Foi pela fé que Noé ouviu os avisos de Deus sobre as coisas que iam acontecer e que não podiam ser vistas. Noé obedeceu a Deus e construiu uma barca em que ele e a sua família foram salvos. Assim Noé condenou o mundo e recebeu de Deus a aprovação que vem por meio da fé.
HEBREUS 11:03, 06-07
                                                  

                                         

LEITURA - PELA FÉ...

TEOLOGIA
Leitura
PELA FÉ...
Foi pela fé que Abraão, ao ser chamado por Deus, obedeceu e saiu para uma terra que Deus lhe prometeu dar. Ele deixou o seu próprio país, sem saber para onde ia. Pela fé ele morou como estrangeiro na terra que Deus lhe havia prometido. Viveu em barracas com Isaque e Jacó, que também receberam a mesma promessa de Deus. Porque Abraão esperava a cidade que Deus planejou e construiu, a cidade que tem alicerces que não podem ser destruídos.
Foi pela fé que Abraão se tornou pai, embora fosse velho demais e a própria Sara não pudesse ter filhos. Ele creu que Deus ia cumprir a sua promessa. Assim, de um só homem, que estava praticamente morto, nasceram tantos descendentes como as estrelas do céu, tão numerosos como os grãos de areia da praia do mar.
HEBREUS 11:08-12
                                                  

                                         

LEITURA - FOI PELA FÉ... ABRAÃO

TEOLOGIA
Leitura
FOI PELA FÉ... ABRAÃO
Foi pela fé que Abraão, quando Deus o quis pôr à prova, ofereceu o seu filho Isaque em sacrifício. Deus tinha prometido muitos descendentes a Abraão, mas mesmo assim ele estava pronto para oferecer o seu único filho em sacrifício. Deus lhe tinha dito: “Por meio de Isaque é que você terá descendentes.” Abraão reconhecia que Deus era capaz de ressuscitar Isaque, e, por assim dizer, Abraão tornou a receber da morte o seu filho Isaque.
HEBREUS 11:17-19
                                                  

                                         

LEITURA - FOI PELA FÉ

TEOLOGIA
Leitura
FOI PELA FÉ
Foi pela fé que os pais de Moisés, quando ele nasceu, o esconderam durante três meses. Eles viram que o menino era bonito e não tiveram medo de desobedecer à ordem do rei.
Foi pela fé que Moisés, quando já era adulto, não quis ser chamado de filho da filha de Faraó. Ele preferiu sofrer com o povo de Deus em vez de gozar, por pouco tempo, os prazeres do pecado. Ele achou que era muito melhor sofrer o desprezo por causa do Messias do que possuir todos os tesouros do Egito. É que ele tinha os olhos fixos na recompensa futura.
Foi pela fé que Moisés saiu do Egito, sem ter medo da raiva do rei, e continuou firme, como se estivesse vendo o Deus invisível. Pela fé Moisés começou o costume de celebrar a Páscoa e mandou marcar com sangue as portas das casas dos israelitas para que o Anjo da Morte não matasse os filhos mais velhos deles.
Foi pela fé que os israelitas atravessaram o mar Vermelho como se fosse terra seca. E, quando os egípcios tentaram atravessar, o mar os engoliu.
HEBREUS 11:23-29
                                                  

                                         

VIRTUDES - ME TOQUE

VIRTUDES
Leitura
ME TOQUE
Uma música apresentada.
Um intérprete que não conhecia.
Uma melodia transcendia.
Por dentro. Sem lamentos.
Não devemos nos acostumar com os mesmos sons, é verdade.
Porque música é inspiração.
Não é não?
Me mande uma música.
Me cante uma estrofe.
Me mostre uma nota.
Me toque.
Em si bemol ou fá sustenido.
Me enriqueça.
E não me esqueça.
Minha voz é melodia.
Destas que não tem fim.
E no ritmo vem.
Para alguém.
Me toque.
Me inspire.
Em fá sustenido.
Ou mi bemol.
Seja meu sol.
Mônica Kikuti
                                                  

                                         

VIRTUDES - FUGIDIA

VIRTUDES
Leitura
FUGIDIA
Um dia eu quis fugir de mim.
Havia me cansado da identidade rotineira.
Dos passeios conhecidos.
Dos pensamentos inúteis.
Tentei... mas cada tentativa de fuga era mais difícil do que ser eu.
Era uma contrariedade sufocante, como se não houvesse outra chance.
Era pegar-me ou largar-me, dentro de um calabouço que tinha nome e sobrenome.
Aceitei o desafio.
De ser como era.
Com todas as quimeras.
Embutidas em mim.
E eis que, a cada descoberta, uma novidade incerta.
Uma transformação.
Uma paixão.
De ser como eu era.
Era destino mesmo.
E me reconfortei, com todos os suspiros.
E emoções.
Confusões.
Torpores.
E dores.
Mas ainda é estranhamente melhor ser o que sou.
Sem fuga, sem medo.
Com todas as imperfeições e magnitudes.
Atitudes.
Que não me fogem mais.
Mônica Kikuti
                                                  

                                         

VIRTUDES - VIRE OS OLHOS

VIRTUDES
Leitura
VIRE OS OLHOS
    
Há uns dois anos, me mandaram um vídeo sobre gratidão e, desde então, sempre tenho observado o céu com a vontade de enxergar o inesperado. E o inesperado sempre está ali, descortinando novos desenhos, nuvens, sol ou chuva e uma amplidão de azul. Porque nenhum dia é igual ao outro. Entretanto, muitos têm levado uma vida tão robótica, que a mesmice vai minando aquela capacidade criativa, tão inspiradora, trazendo mais dissabor do que amor. Mais frio do que calor. Mais lamento que emoção.
A racionalidade tem sido palavra de ordem, com a premissa – talvez sombria – de ser o atalho para o amadurecimento. Agimos e falamos com desenvoltura, mantemos discussões acaloradas e santificamos o metodismo como o pão nosso de cada dia. Ele está ali na xícara de café com leite. Na porta de entrada do trabalho. Nas reuniões intermináveis, nas conversas (sempre) das mesmas coisas e sob os mesmos ângulos. Não há espaço para enxergar um pouco mais. É sempre o que está ali, visível, como se a gente nunca pudesse fazer uso da “visão além do alcance”. Por onde andam a imaginação e a criatividade, dupla tão dinâmica e apaixonante em nos trazer o “não manifesto” diante dos olhos? O que se pode criar dentro da gente quando tudo o que está lá parece vazio do lúdico que nos embala e nos leva para onde quisermos ir?
Assisti a um filme chamado “O Reencontro”. O personagem principal, que era escritor, disse a uma garotinha, ansiosa em criar suas próprias histórias: “Nunca deixe de procurar pelo que não está lá.” Esta frase reverbera um eco de possibilidades, estilhaçando a solidez com a qual muitos deixam passar todos os instantes da vida: a rigidez do olhar é sempre enfadonha, bloqueadora. Ela não se amplia. Não se abre para o que não está lá e nem para o que está.
E uma amiga me disse algo profundamente verdadeiro que vem sendo esquecido, dia após dia, por milhares de pessoas: “A gente tem que virar os olhos em tudo na vida!”. Virar os olhos, não para pensar “Humpt, que saco!”, mas virar os olhos para as coisas mais rotineiras, inclusive, para o céu. Virar os olhos não está estritamente ligado a apaixonar-se por alguém, sentindo borboletas no estômago, mas fazer com que estas borboletas façam outros voos diante de nós. Que elas sejam infinitas na magnitude das coisas palpáveis e não palpáveis. Que elas tragam cores e quentura para o café com leite. Para a porta de entrada do trabalho. Para as reuniões (mesmo as intermináveis). Para as conversas de sempre, mas desta vez com novas borboletas. Porque a gente tem a capacidade de criar, de imaginar, de colorir, mesmo quando o céu está nublado. Não há dia chuvoso, para quem é sol e sabe virar os olhos, virar a página e virar o inverso das coisas!
Mônica Kikuti
                                                  

                                         

leitura - IMITAR A FÉ

TEOLOGIA
Leitura
Imitar a fé
     Lembrem-se dos seus primeiros líderes espirituais, que anunciaram a mensagem de Deus a vocês. Pensem como eles viveram e morreram e imitem a fé que eles tinham.
Obedeçam aos seus líderes e sigam as suas ordens, pois eles cuidam sempre das necessidades espirituais de vocês porque sabem que vão prestar contas disso a Deus. Se vocês obedecerem, eles farão o trabalho com alegria; mas, se vocês não obedecerem, eles trabalharão com tristeza, e isso não ajudará vocês em nada.
Hebreus 13:7,17
                                                  

                                         

VIRTUDES - ORDINÁRIO

Virtudes
Leitura
ORDINÁRIO
Não esperei mais nada.
Apenas o horário das coisas programadas.
Aquilo que não tem presságio. Ordinário.
Talvez o extraordinário tenha se perdido.
Encolhido no frio.
Se aborrecido.
No relógio, o ponteiro não mentia.
Embora quisesse que retrocedesse.
Dois milhões de vezes.
Sorrateiramente, a noite chegou.
Ordinariamente no mesmo horário.
Sem falhas. Sem falta.
Sem dizer a quê.
Será que o dia... desanuvia?
M. KIKUTI