SELEÇÕES

OFERTAS FANTÁSTICAS

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

HISTÓRIA - História do Halloween

HistórIA
HALLOWEEN
História do Halloween

Em declaração feita no ano de 2009, o Vaticano condenou o Halloween como uma festa perigosa carregada por vários elementos anticristãos. No Brasil, observamos que algumas pessoas torcem o nariz para a comemoração do evento por entendê-lo como uma manifestação distante da nossa cultura. No fim das contas, muito se diz a respeito, mas poucos são aqueles que examinam minuciosamente os significados e origens de tal festividade.
        Desde a Antiguidade, observamos que várias festividades populares eram cercadas pela valorização dos opostos que regem o mundo. Um dos mais claros exemplos disso ocorre com relação ao carnaval, que antecede toda a resignação da quaresma. No caso do Halloween, desde muito tempo, a festividade acontece um dia antes da “festa de todos os santos” e, por isso, tem seu nome inspirado na expressão "All hallow's eve", que significa a “véspera de todos os santos”.
          Pelo fato do 1° de novembro estar cercado de um valor sagrado e extremamente positivo, os celtas, antigo povo que habitava as Ilhas Britânicas, acreditavam que o mundo seria ameaçado na véspera do evento pela ação de terríveis demônios e fantasmas. Dessa forma, o “halloween” nasce como uma preocupação simbólica onde a festa cercada por figuras estranhas e bizarras teria o objetivo de afastar a influência dos maus espíritos que ameaçariam suas colheitas.
         No processo de ocupação das terras europeias, os povos pagãos trouxeram esta influencia cultural em pleno processo de disseminação do cristianismo. Inicialmente, os cristãos celebravam a todos os santos no mês de maio. Contudo, por volta do século IX, a Igreja promoveu uma adaptação em que a festa sagrada fora deslocada para o 1° de novembro. Dessa forma, os bárbaros convertidos se lembrariam da festa cristã que sucederia a antiga e já costumeira celebração do halloween.
        Por ter essa relação intrínseca ao mundo dos espíritos, o halloween foi logo associado à figura das bruxas e feiticeiras. Na Idade Média, elas se tornaram ainda mais recorrentes na medida em que a Inquisição perseguiu e acusou várias pessoas de exercerem a bruxaria. Da mesma forma, os mortos também se tornaram comuns nesta celebração, por não mais pertencerem a essa mesma realidade etérea.
          Entre todos os desalmados, destaca-se a antiga lenda de Stingy Jack. Segundo o mito irlandês, ele teria convidado o Diabo para beber com ele no dia do Halloween. Após se fartarem em bebida, o astuto Jack convenceu o Diabo a se transformar em uma moeda para que a conta do bar fosse paga. Contudo, ao invés de saldar a dívida, Jack pregou a moeda em um crucifixo.
        Para se livrar da prisão, o Diabo aceitou um acordo em que prometia nunca importunar Jack. Dessa forma, ele foi libertado e nunca mais importunou o homem. Entretanto, Jack morreu e não foi aceito nas portas do céu por ter realizado um trato com o demônio. Ao descer para os infernos, também foi rejeitado pelo Diabo por conta do trato que possuíam. Vendo que Jack estava solitário e perdido, o demônio lhe entregou um nabo com carvão que lhe serviu de lanterna.
        Ao chegarem à América do Norte, os irlandeses trouxeram a festa do Halloween para as Américas e transformaram a lanterna de Jack em uma abóbora iluminada com feições humanas. Os disfarces e máscaras, tão usadas pelos participantes da festa, seriam uma forma de evitar que fossem reconhecidos pelos espíritos que vagam neste dia. Atualmente, as fantasias são utilizadas por crianças que batem às portas exigindo guloseimas no lugar de alguma travessura contra o proprietário da casa.
         De fato, a celebração do Halloween remete a uma série de antigos valores da cultura bárbaro-cristã que se forma na Europa Medieval. Nessa época, várias outras festas celebravam o processo de movimentação do mundo ao destacar os opostos que configuravam o seu mundo. No jogo de oposições simbólicas, mais do que o valor de um simples embate, o homem acaba por visualizar a alternância e a transformação enquanto elementos centrais da vida.
Por Rainer Sousa
Mestre em História





   




MILAGRES ATUAIS - Pastor que seria apedrejado por muçulmanos ora por agressores e escapa da morte milagrosamente

Teologia
MILAGRES ATUAIS

Pastor que seria apedrejado por muçulmanos ora por agressores e escapa da morte milagrosamente
O testemunho de um pastor que seria apedrejado pelos amigos que descobriram sua conversão ao cristianismo tem percorrido o mundo como um símbolo de resistência à perseguição religiosa e amor a Deus.
Pastor Ibrahim vive num dos países que integram o grupo chamado de Stan Nations, onde a perseguição a cristãos por parte dos muçulmanos é mais intensa, segundo um relatório da entidade Global Advance.
Quando teve sua conversão descoberta por seus amigos muçulmanos, Ibrahim foi avisado que ele seria morto apedrejado, conforme a tradição em que acreditavam, de que um muçulmano que se converte a outra religião deve ser morto.
Num ato de frieza, os amigos do pastor, à época novo convertido, sugeriram que ele se despedisse de sua esposa antes de sair de casa.
A postura de fé de Ibrahim o fez agir de forma diferente: ao sair de casa, despediu-se de sua mulher dizendo que em breve voltaria. Segundo o pastor, ele também gostaria de preservar sua esposa de medo e preocupações, e até de retaliações, caso ela tentasse impedir o apedrejamento.
Levado a um lixão local, Ibrahim foi espancado, e quando um dos amigos ergueu uma pedra para matá-lo, ele passou a orar por seus agressores. O homem que iria iniciar o apedrejamento caiu de joelhos gritando: “Eu não posso matar o homem que está proclamando bênção sobre os meus filhos!”, afirmou.
Esse testemunho do pastor Ibrahim é apenas um dos diversos que acompanham cristãos que vivem sob perseguição ao redor do mundo. Segundo a Global Advance, em países da África, Oriente Médio e Ásia os ataques terroristas contra cristãos tiveram um aumento de 309% nos últimos dois anos.
Ore pela igreja perseguida.,
Tiago Chagas, para o Gospel+
   




MENSAGEM - O PODER DA PALAVRA

Teologia
MENSAGEM

O PODER DA PALAVRA

A Bíblia é o referencial de vida e de fé de um verdadeiro cristão, assim, a Escola Bíblica Dominical é um espaço que promove o ensino e estudo da Palavra de Deus, clareando nosso caminho. “A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho.” Salmo 119:105. É aqui onde aprendemos os rudimentos da fé e o valor de uma vida inteiramente consagrada ao serviço do Mestre.
A Bíblia é o referencial de vida e de fé de um verdadeiro cristão, assim, a Escola Bíblica Dominical é um espaço que promove o ensino e estudo da Palavra de Deus, clareando nosso caminho. “A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho.” Salmo 119:105. É aqui onde aprendemos os rudimentos da fé e o valor de uma vida inteiramente consagrada ao serviço do Mestre. 
Quando conhecemos as Escrituras, elas nos levam a abandonar o pecado em nossas vidas e a praticar a justiça. Aprendemos quem realmente é Deus, o que Ele quer de nos, porque nos escolheu. Descobrimos que as promessas estão disponíveis para nós, e como alcançá-las. Entendemos que precisamos de Cristo e sentimos prazer em seguir seus mandamentos. Aprendemos a orar com a ajuda do Espírito Santo. Aprendemos obediência. Aprendemos que não devemos nos apegar às coisas do mundo. A vencer as tentações.
Se abandonarmos este ensino e nos rendermos a um conhecimento superficial do evangelho, estaremos comprometendo nossas vidas. ‘O temor de Deus é o princípio da sabedoria’, se amarmos cada vez mais a Sua Palavra cresceremos no entendimento, no amor, na justiça, na graça.
Algumas razões para irmos a Escola Bibilica Dominical:
1. Estudar a Bíblia nos prepara para toda boa obra. 2Tm 3.16,17).
2. Sem estudo bíblico não somos verdadeiros discípulos de Cristo. (Jo 8.31). 
3. Estudar a Bíblia nos torna pessoas mais fortes e bem-aventuradas (Sl 1.1-3). 
4. Estudar a Bíblia nos dá certeza da salvação. (1Jo 5.13). 
5. Estudar a Bíblia nos dá confiança e poder na oração (Jo 15.7).
6. Estudar a Bíblia nos purifica e nos adverte contra o pecado. (Jo 15.3).
7. Estudando a Bíblia não caímos em armadilhas. (Mt 22.29). 
8. Estudar a Bíblia nos dá alegria. (Jo 15.11). 
9. Estudar a Bíblia nos orienta nas decisões importantes da vida. (Sl 119.105).
10. Estudar a Bíblia é um dever. (Cl 3.16).
Quando conhecemos as Escrituras, elas nos levam a abandonar o pecado em nossas vidas e a praticar a justiça. Aprendemos quem realmente é Deus, o que Ele quer de nos, porque nos escolheu. Descobrimos que as promessas estão disponíveis para nós, e como alcançá-las. Entendemos que precisamos de Cristo e sentimos prazer em seguir seus mandamentos. Aprendemos a orar com a ajuda do Espírito Santo. Aprendemos obediência. Aprendemos que não devemos nos apegar às coisas do mundo. A vencer as tentações.
Se abandonarmos este ensino e nos rendermos a um conhecimento superficial do evangelho, estaremos comprometendo nossas vidas. ‘O temor de Deus é o princípio da sabedoria’, se amarmos cada vez mais a Sua Palavra cresceremos no entendimento, no amor, na justiça, na graça.
Algumas razões para irmos a Escola Bíblica Dominical:
1. Estudar a Bíblia nos prepara para toda boa obra. 2Tm 3.16,17).
2. Sem estudo bíblico não somos verdadeiros discípulos de Cristo. (Jo 8.31). 
3. Estudar a Bíblia nos torna pessoas mais fortes e bem-aventuradas (Sl 1.1-3). 
4. Estudar a Bíblia nos dá certeza da salvação. (1Jo 5.13). 
5. Estudar a Bíblia nos dá confiança e poder na oração (Jo 15.7).
6. Estudar a Bíblia nos purifica e nos adverte contra o pecado. (Jo 15.3).
7. Estudando a Bíblia não caímos em armadilhas. (Mt 22.29). 
8. Estudar a Bíblia nos dá alegria. (Jo 15.11). 
9. Estudar a Bíblia nos orienta nas decisões importantes da vida. (Sl 119.105).
10. Estudar a Bíblia é um dever. (Cl 3.16).
Deus os abençoe!

Pastor Adão de Santana

   




LEITURA - A fidelidade de Israel (2)

Teologia
LEITURA

A fidelidade de Israel (2)

Vão até a ilha de Chipre, no Oeste, e vejam; 
mandem alguém a Quedar, no Leste, 
e prestem bastante atenção, 
pois uma coisa como esta nunca aconteceu antes. 
Nenhuma outra nação trocou os seus deuses por outros 
que nem eram deuses de verdade. 
Mas o meu povo me trocou, 
trocou a mim, o seu Deus glorioso, 
por deuses que não podem ajudá-los. 
Por isso, eu, o SENHOR, 
vou mandar que o céu trema de horror 
e que fique cheio de pavor e de espanto. 
O meu povo cometeu dois pecados: 
Eles abandonaram a mim, 
a fonte de água fresca, 
e cavaram cisternas, cisternas rachadas 
que deixam vazar a água da chuva.”
Jeremias 2.10-13
   




LEITURA - A fidelidade de Israel (1)

Teologia
Leitura

A fidelidade de Israel (1)

O SENHOR Deus me mandou entregar a todos os moradores de Jerusalém a seguinte mensagem:
“Meu povo, eu lembro de quando você era jovem.
Como você era fiel
e como me amava quando éramos recém-casados!
Lembro como me seguiu pelo deserto,
por uma terra onde não havia plantações.
Povo de Israel, você era só meu;
era sagrado como o trigo
que é colhido primeiro
e oferecido a mim.
Eu castiguei todos os que fizeram você sofrer
e fiz cair o mal sobre eles.
Eu, o SENHOR, estou falando.”
 Descendentes de Jacó e famílias do povo de Israel, escutem a mensagem de Deus, o SENHOR. Ele diz:
“Que defeito os seus antepassados acharam em mim
para me abandonar?
Adoraram ídolos inúteis
e eles mesmos se tornaram inúteis.
Eles me desprezaram;
no entanto, fui eu quem os tirou do Egito.
Eu os levei pelo deserto,
terra de montanhas e de precipícios;
terra seca e perigosa,
por onde ninguém viaja
e onde ninguém mora.
Eu os trouxe para uma terra boa
a fim de que se alimentassem das suas colheitas
e do que ela tem de melhor.
Mas eles vieram
e mancharam a minha terra;
fizeram com que a terra que lhes dei virasse um lugar nojento.
Os sacerdotes não perguntaram:
‘Onde está o SENHOR?’
Os que lidam com a Lei não quiseram saber de mim.
Os governadores se revoltaram contra mim.
Os profetas falaram em nome do deus Baal
e adoraram ídolos
que não podem ajudar ninguém.”
O SENHOR  Deus diz:
“Assim eu vou novamente fazer uma acusação contra o meu povo.
Vou apresentar a minha causa
contra vocês e os seus descendentes.
Sou eu, o SENHOR, quem está falando.
Jeremias 2.1-9
   




virtudes - A vida em notícias demais

VIRTUDES

A vida em notícias demais


A vida traz surpresas.
Atente-se às boas, porque das más já se tem notícias demais.
A vida traz desafios.
Atente-se aos melhores, porque dos que foram fracassos já se tem notícias demais.
A vida traz emoções.
Atente-se às mais genuínas, porque das ruins já se tem notícias demais.
A vida traz amores.
Atente-se aos mais intensos e felizes, já que dos que não foram bons, já se tem notícias demais.
A vida traz momentos.
Atente-se aos especiais, porque das tragédias já se tem notícias demais.
A vida traz viagens.
Atente-se às mais íntimas, porque das ínfimas já se tem notícias demais.
A vida traz tentações e fraquezas.
Atente-se à sua força e faça dela sua fortaleza, porque de pecados já se tem notícias demais.
A vida traz sabores.
Atente-se aos peculiares, aqueles que celebram uma data, uma lembrança especial, porque do amargor já se tem notícias demais.
A vida traz. E a vida leva.
Atente-se ao que fica.
E ao que vale (a pena).
Porque do imprestável já se tem notícias demais.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

HISTÓRIA - Dia do Servidor Público

História
Datas comemorativas

Dia do Servidor Público
No dia 28 de outubro comemora-se o dia do funcionário público. A data foi instituída no governo do presidente Getúlio Vargas, através da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937.
Em 1938 foi fundado o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, onde esse tipo de serviço passou a ser mais utilizado.
As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão no decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.
Em 11 de dezembro de 1990, foi publicado o novo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, a Lei nº8112, alterando várias disposições da antiga lei, porém os direitos e deveres desses servidores estão definidos e estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, além dos estatutos das entidades em que trabalham.
Os serviços públicos estão divididos em classes hierárquicas, de acordo com os órgãos dos governos, que podem ser municipais, estaduais ou federais. Os serviços prestados podem ser de várias áreas de atuação, como da justiça, saúde, segurança, etc.
Para ser servidor público é preciso participar de concursos e ser aprovado no mesmo, garantindo assim a vaga enquanto profissional. O bom desse tipo de trabalho é que o servidor tem estabilidade, não pode ser dispensado de suas funções. Somente em casos extremos, em que se comprove a falta de idoneidade de um funcionário público, é que o mesmo é afastado de seu cargo.
Os salários dos funcionários públicos são pagos pelos cofres públicos, dependendo da localidade. Se for municipal, são pagos pelas prefeituras; se estadual, pelos governos estaduais; e se federal, pagos pelos cofres da União.
Os servidores públicos devem ser prestativos e educados, pois trabalham para atender a população civil de uma localidade. É comum vermos pessoas reclamarem dos serviços públicos, da falta de recursos dos mesmos, falta de profissionais para prestar os devidos atendimentos ou até mesmo por estes serem mal educados e ríspidos com a população. É bom enfatizar que esses profissionais lidam com o que é público, ou seja, aquilo que é de todas as pessoas. Portanto, ganham para prestar serviços a toda comunidade.
Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

VIRTUDES - ABRINDO-SE

VIRTUDES

Abrindo-se


O dia se abriu. O céu trouxe o que quis ver há tanto tempo. 
Não havia mais lembranças como outrora. Não havia, porque não se queria.
O dia se abriu. O céu trouxe aquele azul tão desejado para enfeitar o destino, saindo da clausura de estar preso em si.
A brisa era mais do que vento. Era alento, até então perdido em frivolidades.
O anúncio da vida. O anúncio de que não haveria fim, tão cedo assim.
O dia se abriu. O céu não pediu licença e abriu pinturas numa tela sob o ar, que agora me era escasso.
As ondas levavam os males que estavam a atormentar. Distanciavam-se como o medo que fugiu. Fugiu de mim.
O dia se abriu. O céu era tudo o que eu vi. Sem mágoas passadas. Só com o presente a me presentear.
Com o céu.
Aberto.
Sob os olhos de quem vê.

LEITURA - Deus chama Jeremias (2)

Teologia
Leitura

Deus chama Jeremias (2)

O SENHOR falou comigo outra vez e perguntou:
— O que mais você está vendo?
Eu respondi:
— Estou vendo no Norte uma panela fervendo e se derramando para o lado de cá.
Então o SENHOR disse:
— Do Norte, virá a destruição, que se derramará em cima de todos os que vivem nesta terra. Eu vou chamar todas as nações do Norte. Os reis dessas nações chegarão aqui e colocarão o seu trono na frente dos portões de Jerusalém, em volta das suas muralhas e também em volta das outras cidades de Judá. Vou castigar os seus moradores por causa da sua maldade. Eles me abandonaram, estão queimando incenso a outros deuses e adorando os ídolos que fizeram com as suas próprias mãos. Jeremias, prepare-se para ir. Vá dizer a eles tudo o que eu mandar. Não tenha medo deles agora, pois, do contrário, eu farei com que você fique com mais medo ainda quando estiver no meio deles. Escute, Jeremias! Todas as pessoas desta terra, isto é, os reis de Judá, as autoridades, os sacerdotes e o povo, vão ficar contra você. Mas hoje eu estou lhe dando forças para poder enfrentar essa gente. Você será como uma cidade cercada de muralhas, como um poste de ferro, como um muro de bronze. Eles não o derrotarão, pois eu estarei ao seu lado para protegê-lo. Eu, o SENHOR, falei.

Jeremias 1.13-19
   




segunda-feira, 28 de outubro de 2013

HISTÓRIA - Dia Internacional do Livro

História
Datas comemorativas
Dia Internacional do Livro

O Dia Internacional do Livro teve a sua origem na Catalunha, uma região da Espanha.
A data começou a ser celebrada em 7 de outubro de 1926, em comemoração ao nascimento de Miguel de Cervantes, escritor espanhol. O escritor e editor valenciano, estabelecido em Barcelona, Vicent Clavel Andrés, propôs este dia para a Câmara Oficial do Livro de Barcelona.
Em 6 de fevereiro de 1926, o governo espanhol, presidido por Miguel Primo de Rivera, aceitou a data e o rei Alfonso XIII assinou o decreto real que instituiu a Festa do Livro Espanhol.
No ano de 1930, a data comemorativa foi trasladada para 23 de abril, dia do falecimento de Cervantes.
Mais tarde, em 1995, a UNESCO instituiu 23 de abril como o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, em virtude de a 23 de abril se assinalar o falecimento de outros escritores, como Josep Pla, escritor catalão, e William Shakespeare, dramaturgo inglês.
No caso do escritor inglês, tal data não é precisa, pois que em Inglaterra, naquele tempo, ainda utilizava o calendário juliano, pelo que havia uma diferença de 10 dias apara o calendário gregoriano usado em Espanha. Assim Shakespeare faleceu efetivamente 10 dias depois de Cervantes.
Dia Nacional do Livro: 29 de outubro
Você sabe por que comemoramos o dia Nacional do Livro no dia 29 de outubro? Por que foi nesse dia, em 1810, que a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil, quando então foi fundada a Biblioteca Nacional e esta data escolhida para o DIA NACIONAL DO LIVRO.
        O Brasil passou a editar livros a partir de 1808 quando D.João VI fundou a Imprensa Régia e o primeiro livro editado foi "MARÍLIA DE DIRCEU", de Tomás Antônio Gonzaga.
        Comemore também!
        Comemore o dia do livro: lendo; presenteando com livro, ou, escrevendo uma frase. Se gostar do que escreveu, nos envie por e-mail. Vamos divulgar. 
        Frases que recebemos em homenagem ao Dia Nacional do Livro:
        "Livro fonte universal do saber"
        Enviada por Carolina Junqueira Ferreira, 12 anos


leitura - Deus chama Jeremias (1)

Teologia
Leitura

Deus chama Jeremias (1)

Este livro conta o que Jeremias disse e fez. Jeremias era filho de Hilquias, um dos sacerdotes da cidade de Anatote, no território da tribo de Benjamim. Quando Josias, filho de Amom, estava no ano treze do seu reinado em Judá, o SENHOR Deus falou com Jeremias. E falou de novo quando Jeoaquim, filho de Josias, era rei. Depois disso, Deus falou com Jeremias muitas vezes, até o tempo em que o povo da cidade de Jerusalém foi levado como prisioneiro para fora da sua terra. Isso aconteceu no quinto mês do ano décimo primeiro do reinado de Zedequias, filho de Josias.
O SENHOR Deus me disse:
— Antes do seu nascimento, quando você ainda estava na barriga da sua mãe, eu o escolhi e separei para que você fosse um profeta para as nações.
Então eu disse:
— Ó SENHOR, meu Deus, eu não sei como falar, pois sou muito jovem.
Mas o  respondeu:
— Não diga que é muito jovem, mas vá e fale com as pessoas a quem eu o enviar e diga tudo o que eu mandar. Não tenha medo de ninguém, pois eu estarei com você para protegê-lo. Sou eu, o SENHOR, quem está falando.
Aí o SENHOR estendeu a mão, tocou nos meus lábios e disse:
— Veja! Eu estou lhe dando a mensagem que você deve anunciar. Hoje, estou lhe dando poder sobre nações e reinos, poder para arrancar e derrubar, para destruir e arrasar, para construir e plantar.
O SENHOR me perguntou:
— O que é que você está vendo?
— Um galho de amendoeira! — respondi.
O SENHOR me disse:
— Você está certo; eu também estou vigiando para que as minhas palavras se cumpram.
Jeremias 1.1-12