SELEÇÕES

OFERTAS FANTÁSTICAS

domingo, 29 de março de 2015

DICAS DE PORTUGUÊS - FIGURAS DE LINGUAGEM I

DICAS DE PORTUGUÊS
FIGURAS DE LINGUAGEM I
CONCEITO
        Quando se utiliza de maneira não convencional a linguagem, explorando-se os aspectos conotativos das palavras e novas maneiras de construir as frases, estão sendo criadas as figuras de linguagem, também chamadas de figuras de estilo.
        De seus dentes pálidos surgiu, enfim um sorrido.   
A característica “pálidos” atribuída a “dentes” pode sugerir dentes amarelados ou sorriso triste tímido, ou ambas as ideias.

        “ O mar passa saborosamente
        A língua na areia.” ( Duardo Dusek/ Luís Carlos Goes)
        O “mar” é personificaso, tem caracteríticas de seres vivos. Na personificação do “mae”, “língua” é usada em lugar de onda.

        Figuras de linguagem são recursos que  o emissor cria para dar maior expressividade, vivacidade, imprimir mais foça e colorido à sua
mensagem.
        Observação:
        Esses recursos de linguagem acabam por caracterizar o estilo do escritor ou falante que os emprega com frequencia.
        A linguagem figurada ocorre quando se quer dar expressividade à mensagem através de:
·                    Recursos semênticos, ou seja, trabalhando a palavra do ponto de vista de seu significado.
A encomenda precisa ser entregue rapidamente. Vá voando levá-la! ( Vá o mais rápido que puder!)
·                    Recursos fonéticos, destacando os sons das palavras. Exemplo: Falar em progresso urbano é sentir o ruído da britadeira trepidando na minha cabeça e na rua. ( A repetição dos svos representados pela letra r sugere o ruído constante dos grandes centros urbanos.)
·                    Recursos sintáticos, trabalhando a construção da frase: Ex: “No aconchego
Do claustro, na paciencia e vo sossego,
Trabalha, e reima,e lima, e sofre, e sua! ( Olavo Bilac)
(A repetição do conetivo e intensifica a idéia de dedicação ao trabalho.)
Em função  dessas ocorrências, podemos classificá-las em: Figuras semânticas, figuras fonéticas e figuras sintáticas.

Figuras semânticas
Metáfora
                É o emprego de um termo com significado de outro em vista de relação de semelhança emtre ambos. É uma comparação subentendida. Exemplo:
Meu pai é um leão. (= Meu pai é forte – ou braco – como um leão)   - Observe que, para se construir a metáfora, elimina-se o termo comparatico COMO.
“O Brasil é novo, é um país pivete.” ( Abel Silva)
“Não sei que nucem trago neste peito
Que tudo quanto vejo me entristece...” ( Alexabdre de Gusmão)
“O rio era um bicho que de repente embrabesera.” ( Deonísio da Silva)
“Sua boca é um cadeado
Emeu corpo é uma fogueira.” ( Chico Buarque de Hollanda)
“Tinhas a lama de sonhos povoada.” ( Olavo Bilac)

Comparação
        É a aproximação de dois termos entre os quais existe alguma relação de semelhança, como na metáfora. A comparação, porém, é feita por meio de um conectivo e busca realçar determinada qualidade do primeiro termo. Exemplos:
        A chuva caía como lágrimas de um céu entrestecido.
        “E há poetas que são  artistas
        E trabalham nos seus versos
        Como um carpinteiro nasa tábuas!...” ( Alberto Caeiro)
        “Como um grande borrão de fogo sujo
        O sol posto demora-se nas nuvens que ficam.” (Alberto Caeiro)
       
       PROSOPOPÉIA
        Também chamada de PERSONIFICAÇÃO ou animismo, é atribuir ações ou qualidades humanas a seres inanimados, irracionais ou mesmo abstratos. Exemplos:
        “Ah! Cidade maliciosa
        De olhos de ressaca
        Que das índias guardou a vontade de andar nua.”( Ferreira Gular)
        Com a passagem da nuvem, a lua se tranquiliza.
        A lua olhava com inveja os namorados.
        As estrelas conversavam animadamente.
        A flor chorava egemia.

        Antítese
        Figura que consiste no emprego de termos com sentidos opostos. Exemplos:
        “Uns querem o mal e fazem-nos o bem. Outros nos almejam o bem , e trazem o mal.” ( Rui Barbosa)
        “Uma parete de mim pesa, pondera: outra parte delira.( Ferreira Gular)
        Eu sem você, sou chama sem luz.( Vinicius de Moraes)
        “Tristeza não tem fim
        Felicidade sim...” ( Vinivius de Moraes)
       
        Eufemismo
        Figura que consiste no abrandamento de uma expressão de sentido desgradável; ou seja é o uso da expressão mais suave ára comunicar alguma coisa ásper, desagradável, chocante. Exemplo:

        Ele dorme o sono eterno. ( ele está morto.)
        Aqueles homens públicos apropriaram-se do dinheiro. ( apropriaram-se = roubaram)
        O médico comunicou a família que ela estava com uma doença ruim. ( doença ruim = cancer)
        O prisioneiro preferiu retirar-se da vida a confessar um crime que não cometera. ( retirar-se da vida = morrer)
        Ele devolceu o excesso de comida que engoliu sem mastigar.
        Ela foi morar com DEUS.

Hiperbole
Figura que através do exagero procura tornar mais expressiva uma ideia. Exemplo:
Chorei rios de lágrimas.
Na época de festas juninas, sempre morro de medo dos fogos de artifício.
Ele possuía um mar de sonhos e aspirações.
Faz mil anos que não a vejo.
Repeti-lhe um milhão de vezes a mesma coisa.
Numa hora acho mil anos, e é de jeito / que em mil anos não posso achar uma hora.” ( Luís de Camões)

Ironia
Consiste na incersão de sentido, afirma-se o contrário do que se pensa, cisando à sátira ou à ridicularização, isto é, é a espressão que contém o oposto daquilo que se quer dizer, sempre com o intuito de crítica ou desprezo. É facilmente percebida na linguagem oral, pela entovação da voz. Exemplo:
“Meu namorado é um santo. Só me traiu tres vezes.”
Que careta mais bonita.
Casa vez que você interrompe um colega, sem pedir-lhe licença, percebo como é bem-educado.

Metonímia
É a substituição do sentido de uma palavra ou expressão por outro sentido, havendo entre eles uma relação lógica.

A.  O AUTOR PELA OBRA:

Exemplos:

Ouvi Mozart com emoção. ( a música de Mozart.)
Leio Graciliano Ramos porque ele fala da realidade brasileira. ( A obra  de Graciliano Ramos)
Gosto de ler Guimarães Rosa.
Gosto de ler Machado de Assis. (= Gosto de ler a obra literária de Machado de Assis.) 
Ela parecia ler Jorge Amado.

B.  O CONTINENTE PELO CONTEÚDO:
Exemplos:

        A fome era tamanha que o homem comeu todo prato de arroz. ( continente: todo prat; conteúdo: o arroz)
        Ele comemorou tomando um copo de caipirinha. ( continente: um copo; conteúdo: caiprinha contida vo copo)
Bebeu o cálice todo. (= Bebeu todo o líquido que estava no cálice.)
Comi um prato de macarrão! (= Comi todo o macarrão que estava no prato)
C.  A PARTE PELO TODO:

Exemplo:
“O bonde passa cheio de pernas.” (Carlos Drummonde de Andrade) ( pernas = pessoas)
São muitas as famílias que procuram um teto para morar. (teto = casa).
"A cidade inteira  viu assombrada, de queixo caído, o pistoleiro sumir de ladrão, fugindo nos cascos de seu cavalo."
Completou dez primaveras (= Completou dez anos)

D.  O SINGULAR PELO PLURAL:

Exemplos:
“Todo homem tem direito à vida, `liberdade e à segurança pessoal. ( Art. 3º - Declaração Universal dos Direiros Humanos)  ( homem = humanidade).
A mulher foi chamada par ir às ruas da luta contra a violência. ( mulher = todas as mulheres).
A mulher conquistou seu lugar! (= Todas as mulheres conquistaram...)
O paulista é tímido; o carioca , atrevido. 
“O brasileiro tenta encontrar uma saída para suportar a crise”

E.  O INSTRUMENTO PELA PESSOA QUE O UTILIZA:

Exemplos:
Os mivrofones corriam atropelando até o entrecistado. ( microfones = repórteres).
Ele é um bom pincel, o problema é que seus quadros são caros. ( pincel = pintor)
Os flashes o seguiam aonde fosse (= Os fotógrafos o seguiam aonde fosse)
“Quantos quilos ela come por dia?

F.   O ABSTRATO PELO CONCRETO:

Exemplos:
A juventude é corajosa e nem sempre consequente. ( juventude = jovens)
A infância é saudavelmente desordeira. ( infância = crianças).
Não devemos contar com o seu coração.
 "A inteligência americana negou tudo"

G.  O EFEITO PELA CAUSA:

Exemplos:
Com muito suor o operário construiu a casa. ( suor = trabalho)
As indústrias despejam a morte no rios. ( morte = poluição).
Sócrates bebeu a  morte. (= Sócrates tomou veneno.)
“Conseguiu sucesso com determinação e suor''

H.  A MATÉRIA PELO OBJETO:

Exemplos:
Os bronzes tangiam avisando a hora da missa. (bronzes – sinos)
Os cristais tiniam na bandeja de prata. ( cristais = copos).
Lavou os cristais e as porcelanas para usá-los no jantar. (= Lavou os copos e os pratos...)
“O jantar foi servido à base de porcelanas e cristais

        Pardoxo
        É uma proposição aparentemente absurda, resultante da reunião de ideias contraditórias. Exemplos:
        “Pra se viver do amor
Há que esquecer o amor.” ( Chico Buarque de Hollanda)
        No discurso, o sindicalista afirmou que o operário quanto mais trabalha amis tem  dificuldades economicas.

       



        
https://www.viglink.com/?vgref=249155

sábado, 21 de março de 2015

LEITURA - A MISERICÓRDIA DE DEUS PARA COM ISRAEL

TEOLOGIA
LEITURA
A MISERICÓRDIA DE DEUS PARA COM ISRAEL
Então eu pergunto: será que Deus rejeitou o seu próprio povo? É claro que não! Eu mesmo sou israelita, descendente de Abraão e membro da tribo de Benjamim. Deus não rejeitou o seu povo, que ele havia escolhido desde o princípio. Vocês sabem muito bem o que as Escrituras Sagradas dizem naquele trecho em que Elias acusa o povo de Israel diante de Deus. Elias diz assim: “Senhor, eles mataram os teus profetas e destruíram os teus altares. Eu sou o único que sobrou, e eles estão querendo me matar!” O que foi que Deus disse a ele? Ele disse: “Eu guardei para mim sete mil homens que não adoraram o deus Baal.” A mesma coisa também acontece agora, isto é, por causa da graça de Deus, ainda existe um pequeno número daqueles que ele escolheu. Essa escolha se baseia na graça de Deus e não no que eles fizeram. Porque, se a escolha de Deus se baseasse no que as pessoas fazem, então a sua graça não seria a verdadeira graça.
E isso quer dizer que não foi o povo de Israel que encontrou o que estava procurando. Quem encontrou foi apenas um pequeno grupo que Deus escolheu; os outros não quiseram ouvir o chamado de Deus. Como dizem as Escrituras Sagradas:
“Deus endureceu o coração
e a mente deles;
deu-lhes olhos que não podem ver
e ouvidos que não podem ouvir
até o dia de hoje.”
E Davi disse:
“Que nas suas festas eles sejam
apanhados e enganados,
que eles caiam e sejam castigados!
Ó Deus, faze com que eles
fiquem cegos
e que fiquem sempre curvados
debaixo do peso das suas dificuldades!”
ROMANOS 11:01-10

                                                                 

LEITURA - A SALVAÇÃO DOS QUE NÃO SÃO JUDEUS

TEOLOGIA
LEITURA
A SALVAÇÃO DOS QUE NÃO SÃO JUDEUS
Alguns galhos da oliveira cultivada foram quebrados, e um galho de oliveira brava foi enxertado nela. Pois vocês, os não judeus, são como aquela oliveira brava e agora tomam parte na força e na riqueza espiritual dos judeus. Portanto, vocês não devem desprezar os galhos que foram quebrados. Como é que vocês podem estar orgulhosos? Vocês são somente galhos. Não são vocês que sustentam a raiz — é a raiz que sustenta vocês.
Porém vocês dirão: “Sim, mas os galhos foram quebrados a fim de darem lugar para nós.” Isso é verdade. Mas lembrem que eles foram quebrados porque não creram; no entanto vocês continuam na oliveira porque creem. E não tenham orgulho disso; pelo contrário, tenham medo. Se Deus não deixou de castigar os judeus, que são como galhos naturais, vocês acham que ele vai deixar de castigar vocês? Vejam como Deus é bom e também é duro. Ele é duro para os que caíram e bom para vocês, se continuarem sempre confiando na bondade dele. Se não, vocês também serão cortados. E, se os judeus abandonarem a sua descrença, serão enxertados na oliveira cultivada, pois Deus pode enxertá-los de novo. Vocês, os não judeus, são como aquele galho de oliveira brava que foi cortado e enxertado, contra a natureza, na oliveira cultivada. Os judeus são como essa oliveira cultivada. Portanto, para Deus será muito mais fácil enxertar de novo, na própria árvore deles, esses galhos quebrados.
ROMANOS 11:17-24

                                                                 
https://www.viglink.com/?vgref=249155

TEOLOGIA - AS OVELHAS PRECISAM DE UM PASTOR

TEOLOGIA
LEITURA
AS OVELHAS PRECISAM DE UM PASTOR
Você se acha muito esperto?
Mas nós não somos... se fôssemos, Deus não nos teria comparado com ovelhas: lindas, fofas, mas nada espertas.
As ovelhas precisam do pastor, caso contrário, só se metem em enrascadas. Vão felizes e saltitantes em direção a um desfiladeiro sem nem desconfiar do perigo e quando são puxadas de volta pelo pastor ainda reclamam: “Você estragou o meu passeio”.
Não reclame com o Pastor: Ele não está estragando o seu passeio, mas te livrando da morte!
Ovelhas nunca terão a visão do pastor: elas tem olhos de ovelha, pensam como ovelhas e por isso mesmo, seria sempre mais sensato... confiar no Bom Pastor!
Deixo com vocês um trechinho de Max Lucado, no livro “Trovão gentil” -  Nós como Ovelhas:
Ovelhas não são espertas. Elas tendem a se desviar para riachos por causa de água, mas aí sua lã se molha e fica pesada, e elas se afogam. Elas não têm senso de direção. Elas precisam de um pastor que as guie para águas tranquilas. E nós também!
Nós, assim como as ovelhas, tendemos a sermos levados por águas que deveríamos evitar. Não temos defesa contra o leão mau que ruge ao nosso redor procurando alguém para devorar.
Isaías 53:6 nos lembra “Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós.”
Precisamos de um pastor para cuidar de nós e nos guiar. E Jesus é o Bom Pastor. O Pastor que dá a vida pelas ovelhas. O Pastor que protege, provê e possui suas ovelhas. O Salmista diz: O Senhor é meu pastor! Esta imagem é levada ao Novo Testamento onde Jesus é chamado de o bom pastor das ovelhas!
Jesus disse, “Eu sou o bom pastor; eu conheço minhas ovelhas e minhas ovelhas me conhecem – assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai – e eu dou minha vida pelas ovelhas.” João 10:14-15