SELEÇÕES

OFERTAS FANTÁSTICAS

sábado, 30 de julho de 2016

LEITURA - A PUNIÇÃO DOS PECADORES



TEOLOGIA
Leitura
A PUNIÇÃO DOS PECADORES

        O Senhor Deus disse:
— Já que você pediu, eu perdoo. Mas, pela minha vida e pela minha presença gloriosa que enche toda a terra, juro que nenhum desses homens viverá para entrar naquela terra. Eles viram a minha glória e os milagres que fiz no Egito e no deserto. No entanto dez vezes puseram à prova a minha paciência e não quiseram me obedecer. Eles nunca entrarão na terra que jurei dar aos seus antepassados. Nenhum daqueles que me abandonaram verá aquela terra. Mas o meu servo Calebe tem um espírito diferente e sempre tem sido fiel a mim. Por isso eu farei com que ele entre na terra que espionou, e os seus descendentes vão possuir aquela terra. Agora os amalequitas e os cananeus estão morando nos vales; portanto, amanhã voltem e vão para o deserto, na direção do golfo de Ácaba


NÚEROS 14:20-25

LEITURA - A MORTE DE MIRIAM E AS ÁGUAS DE MERIBA



TEOLOGIA
Leitura
A MORTE DE MIRIAM E AS ÁGUAS DE MERIBA

        No primeiro mês todo o povo de Israel foi para o deserto de Zim e acampou em Cades. Ali Míriam morreu e foi sepultada.
       Naquele lugar não havia água; por isso o povo se reuniu e começou a reclamar contra Moisés e Arão. Eles diziam:
       — Teria sido melhor se tivéssemos morrido na frente de Deus, o Senhor, com os nossos companheiros, os outros israelitas! Por que você trouxe o povo do Senhor para este deserto? Será que foi para morrermos junto com os nossos animais? Por que você nos trouxe do Egito para este lugar terrível, onde não há cereais, nem figueiras, nem parreiras, nem romãs? E além de tudo não há água para beber!
       Então Moisés e Arão saíram dali, onde o povo estava, e foram para a porta da Tenda Sagrada. Eles se ajoelharam, encostaram o rosto no chão, e a glória do Senhor apareceu. E o Senhor disse a Moisés:
       — Pegue o bastão que está em frente da arca da aliança, e depois você e Arão reúnam o povo. E na frente de todos eles deem ordem à rocha, e dela sairá água. Assim, vocês tirarão água da rocha e darão de beber ao povo e também aos animais.
       Então, como Deus havia ordenado, Moisés pegou o bastão que estava diante de Deus, o Senhor. Moisés e Arão reuniram o povo em frente da rocha, e Moisés disse:
       — Agora escute, gente rebelde! Será que vamos ter de fazer sair água desta rocha para vocês?
       Moisés levantou a mão, bateu na rocha duas vezes com o bastão, e saiu muita água. E o povo e os animais beberam.
       Porém o Senhor disse a Moisés e a Arão:
       — Vocês não tiveram fé suficiente para fazer com que o povo de Israel reconhecesse o meu santo poder e por isso vocês não vão levá-los para a terra que prometi dar a eles.
       Isso aconteceu em Meribá, onde o povo de Israel reclamou contra Deus, o Senhor, e onde Deus lhes deu uma prova do seu santo poder.


NÚEROS 20:01-13

LEITURA - A MORTE DE ARÃO



TEOLOGIA
Leitura
A MORTE DE ARÃO

        Todo o povo de Israel saiu da cidade de Cades e chegou até o monte Hor, na fronteira de Edom. Ali o Senhor Deus disse a Moisés e a Arão:
— Arão não entrará na terra que eu prometi dar aos israelitas. Ele vai morrer porque, no caso da água de Meribá, vocês se revoltaram contra as minhas ordens. Traga Arão e Eleazar, o filho dele, e mande que subam o monte Hor. Depois tire as roupas de Arão e vista em Eleazar. Arão vai morrer ali.
Moisés fez como o Senhor havia mandado. Eles subiram o monte Hor diante de todo o povo. Moisés tirou as roupas de sacerdote que Arão vestia e pôs em Eleazar. E Arão morreu bem no alto do monte. Depois Moisés e Eleazar desceram dali. Quando o povo soube que Arão havia morrido, todos ficaram de luto trinta dias.

NÚEROS 20:22-29

VIRTUDES/LEITURA - PÃO COM OVO



VIRTUDES
Leitura
PÃO COM OVO

           
Todo mundo algum dia já cobiçou a comida alheia. Fiquei assim outro dia por causa de um pão com ovo, que meu sobrinho comeu. Dizem que pão com ovo é coisa de pobre e blábláblá. Quer saber? Estou me lixando para a sociedade.
       Passei a semana com vontade do tal pão com ovo e fui até a mesma padaria realizar meu desejo. O sanduíche chegou quentinho. O pão tinha sido cortado ao meio e a cada mordida era um deleite. Eu estava terminando a primeira “banda” quando um funcionário da padaria, cheio de pacotes, esbarrou no meu braço bem naquela golada do café com leite. Putz! O café molhou minha blusa, minha calça e o pão com ovo.
       O homem, coitado, não sabia o que fazer. Pediu mil desculpas. Fiquei desapontada. Fizeram-me outro pão com ovo. De fato, não estava tão bom quanto o primeiro. Comi assim mesmo, porque a vontade, sem dúvida, era maior.
       Enquanto eu comia, percebi uma certa tensão. As outras atendentes estavam apreensivas. Era como se a qualquer momento eu pudesse esbravejar, reclamar para o dono, sei lá. Fiquei pensando no funcionário. Coloquei-me no lugar dele. Eu ficaria arrasada o dia inteiro.
       Fui falar com o cara antes de ir embora. Falei para ele não ficar chateado. Coisas assim acontecem. Ele abriu um sorriso de alívio. Era a redenção para o começo de um dia desastroso.
       A blusa continuou úmida e manchada. E isto só precisa lavar. É fácil de fazer, como pão com ovo. Difícil é lavar a alma, tirar a carga que sobrecarrega. Perdoar, relevar, aceitar.
       E que haja menos conflito, dentro e fora de nós, e que haja mais gente gentil e compreensiva. Assim como mais café na xícara e pão com ovo. Porque é gostoso e a gente merece



LEITURA - A SERPENTE DE BRONZE



Teologia
Leitura
A serpente de bronze

            Então os israelitas saíram do monte Hor pelo caminho que vai até o golfo de Ácaba, para dar a volta em redor da região de Edom. Mas no caminho o povo perdeu a paciência e começou a falar contra Deus e contra Moisés. Eles diziam:
— Por que Deus e Moisés nos tiraram do Egito? Será que foi para morrermos no deserto, onde não há pão nem água? Já estamos cansados desta comida horrível!
Aí o Senhor Deus mandou cobras venenosas que se espalharam no meio do povo; e elas morderam e mataram muitos israelitas. Então o povo foi falar com Moisés e disse:
— Nós pecamos, pois falamos contra Deus, o Senhor, e contra você. Peça a Deus que tire essas cobras que estão no meio da gente.
Moisés orou ao Senhor em favor do povo, e ele disse:
— Faça uma cobra de metal e pregue num poste. Quem for mordido deverá olhar para ela e assim ficará curado.
Então Moisés fez uma cobra de bronze e pregou num poste. Quando alguém era mordido por uma cobra, olhava para a cobra de bronze e ficava curado.

NÚMEROS 21:4-09

terça-feira, 26 de julho de 2016

LEITURA - LOUVOR A DEUS PELA SUA BONDADE



Teologia
Leitura
LOUVOR A DEUS PELA SUA BONDADE

Alguns viajaram em navios nos oceanos,
ganhando a vida nos mares;
eles viram o que o SENHOR Deus faz,
as coisas maravilhosas
que realiza nos mares.
Ele dava ordem,
e um vento forte começava a soprar
e a levantar as ondas.
Os navios subiam bem alto
e depois mergulhavam nas profundezas.
No meio desse perigo,
os homens ficavam apavorados.
Tropeçavam e andavam balançando
como bêbados;
e toda a sua prática de marinheiros
não adiantava nada.
Então, na sua angústia,
gritavam por socorro,
e o SENHOR Deus os livrava
das suas aflições.
Ele acalmava a tempestade,
e as ondas ficavam quietas.
Eles se alegravam
porque o mar tinha ficado calmo;
e assim Deus os levava em segurança
para o porto desejado.
Que eles agradeçam ao SENHOR
o seu amor
e as coisas maravilhosas que fez por eles!
Anunciem a sua grandeza
quando o povo se reunir;
louvem a Deus na assembleia dos líderes.

Deus fez com que os rios
se tornassem deserto
e as fontes de água
secassem completamente.
Ele fez com que a terra boa
virasse um deserto salgado
por causa da maldade
dos que moravam nela.
Ele fez com que o deserto
se transformasse em lagos
e a terra seca virasse fontes de água.
Deixou que gente faminta
morasse ali.
Eles construíram uma cidade
e moraram nela;
semearam os campos,
fizeram plantações de uvas,
e foram boas as colheitas.
Deus abençoou o seu povo,
e eles tiveram muitos filhos.
Deus não deixou que o gado diminuísse.
O povo de Deus foi derrotado
e humilhado
e sentiu o peso do sofrimento
e dos maus-tratos.
Então Deus mostrou o seu desprezo
pelos reis que os maltrataram
e fez com que esses reis andassem
sem rumo na solidão dos desertos.
Mas livrou os pobres da miséria
e fez com que as suas famílias
aumentassem como rebanhos.
Os que são bons veem isso
e ficam contentes,
mas todos os maus têm de calar a boca.

Que aqueles que são sábios
pensem nessas coisas
e meditem no amor de Deus, o SENHOR

SALMO 127:23-43

LEITURA - A CHEGADA



Teologia
Leitura
A CHEGADA

Então José foi dar a notícia ao rei. Ele disse:
— O meu pai e os meus irmãos vieram da terra de Canaã e estão na região de Gosém com as suas ovelhas e cabras, o seu gado e tudo o que têm.
Depois levou cinco dos seus irmãos e os apresentou ao rei. O rei perguntou:
— Qual é o trabalho de vocês?
Eles responderam:
— Senhor, nós somos criadores de ovelhas, como foram os nossos antepassados. Viemos morar neste país porque na terra de Canaã não há pastos para os animais, e a fome lá está terrível. Por favor, deixe que a gente fique morando na região de Gosém.
O rei disse a José:
— Agora que o seu pai e os seus irmãos vieram ficar com você, a terra do Egito está às ordens deles. Dê a eles a região de Gosém, que é a melhor do país, para que fiquem morando lá. E, se na sua opinião houver entre eles homens capazes, ponha-os como chefes dos que cuidam do meu gado.
Depois José levou Jacó, o seu pai, e o apresentou ao rei. Jacó deu a sua bênção ao rei, e este perguntou:
— Qual é a sua idade?
Jacó respondeu:
— Já estou com cento e trinta anos de idade e sempre tenho andado de um lado para outro. A minha vida tem passado rapidamente, e muitos anos foram difíceis. E eu não tenho conseguido viver tanto quanto os meus antepassados, que tiveram uma vida tão dura como a que eu tive.
Jacó deu a sua bênção ao rei e foi embora. E José deu ao pai e aos irmãos terras na melhor região do Egito, perto da cidade de Ramessés, como o rei havia ordenado. Essas terras se tornaram propriedade deles, e eles ficaram morando ali. José dava mantimentos ao pai, aos irmãos e aos parentes, conforme as necessidades de cada família

GENESIS 47:01-12

LEITURA - O ÚLTIMO PEDIDO



Teologia
Leitura
O ÚLTIMO PEDIDO

Os israelitas ficaram vivendo no Egito, na região de Gosém, onde compraram terras e tiveram muitos filhos. Jacó viveu dezessete anos no Egito, chegando à idade de cento e quarenta e sete anos. Quando sentiu que ia morrer, Jacó mandou chamar o seu filho José e disse:
— Se lhe posso pedir um favor, ponha a mão por baixo da minha coxa e jure que será fiel e honesto comigo nisto que vou pedir: não me sepulte no Egito. Quando eu morrer, tire o meu corpo do Egito e me coloque na sepultura dos meus antepassados, a fim de que eu descanse com eles.
José respondeu:
— Eu farei o que o senhor está pedindo.
— Então jure — disse Jacó.
José jurou, e aí Jacó se inclinou sobre a cabeceira da cama e orou.

GENESIS 47:27-31

LEITURA - JACÓ ABENÇOA OS SEUS DOZE FILHOS



Teologia
Leitura
JACÓ ABENÇOA OS SEUS DOZE FILHOS

“Fiquem reunidos em volta de mim
para ouvir, filhos de Jacó;
escutem o que diz Israel, o seu pai.
“Rúben, você é o meu filho mais velho.
Você é a minha força,
o primeiro fruto do meu vigor,
o mais orgulhoso e o mais forte
dos meus filhos.
Você é violento como a correnteza,
porém não será o mais importante,
pois dormiu com a minha concubina,
desonrando assim a cama do seu pai.

“Simeão e Levi são irmãos;
com as suas armas praticam violências.
Não estarei presente
quando fizerem planos,
não tomarei parte nas suas reuniões,
pois no seu furor mataram homens
e por brincadeira aleijaram touros.
Maldito seja o furor deles,
pois é violento!
Maldita seja a sua ira, pois é cruel!
Eu os dividirei na terra de Israel,
eu os espalharei no meio do seu povo.

“Judá, os seus irmãos o louvarão
e se curvarão na sua frente.
Você segurará os inimigos
pelo pescoço.
O meu filho Judá é como um leãozinho
quando mata a sua vítima;
ele se agacha e se deita como um leão
e como uma leoa.
Quem tem a coragem de mexer com ele?
Judá vai segurar o cetro de rei,
e os seus descendentes
sempre governarão.
As nações lhe trarão presentes,
os povos lhe obedecerão.
Ele amarra o seu jumentinho
numa parreira,
na melhor parreira que há.
Ele lava as suas roupas no vinho,
lava a sua capa no vinho cor de sangue.
Os seus olhos estão vermelhos
de beber vinho,
os seus dentes estão brancos
de beber leite.

“Zebulom morará no litoral,
onde haverá portos para navios.
A sua fronteira chegará até Sidom.

“Issacar é como um jumento forte,
deitado entre as suas cargas.
Quando viu que o país era bom
e agradável para descansar,
ele se abaixou para que colocassem
a carga nas suas costas
e, sem reclamar, trabalhou
como um escravo.

“Dã governará a sua própria gente;
será como as outras tribos de Israel.
Dã será como uma cobra
na beira da estrada,
como uma serpente venenosa no caminho,
que morde a pata do cavalo,
fazendo cair para trás
o seu cavaleiro.

“Ó SENHOR, meu Deus, espero que me salves!

“Gade será atacado por um bando
de ladrões,
mas depois ele os perseguirá.

“A terra de Aser produzirá
bons alimentos,
dará alimentos que só reis merecem.

“Naftali é como uma corça solta
que tem lindos filhotes.

“José é como uma planta
perto de uma fonte;
ela dá muita fruta,
e os seus galhos sobem pelo muro.
Os inimigos o atacam com violência
e o perseguem com os seus arcos
e flechas.
Porém o seu arco ficou firme,
e os seus braços continuaram fortes
pela força do Poderoso de Jacó,
pelo nome do Pastor, a Rocha de Israel.
O Deus do seu pai ajudará José,
o Todo-Poderoso lhe dará bênçãos —
bênçãos do alto céu,
bênçãos de águas que ficam
debaixo da terra,
bênçãos de muitos animais
e muitos filhos,
bênçãos de cereais e de flores,
bênçãos de montanhas antigas,
coisas deliciosas dos montes eternos.
Que todas essas bênçãos estejam
sobre a cabeça de José,
sobre a testa daquele que foi escolhido
entre os seus irmãos.

“Benjamim é como um lobo feroz;
de manhã devorará a vítima
e de tarde repartirá as sobras.”

São essas as doze tribos de Israel, e foram essas as palavras que o pai disse aos seus filhos quando os abençoou; a cada um deu uma bênção especial

GENESIS 49:01-28

LEITURA - JACÓ ABENÇOA JOSÉ E SEUS FILHOS



Teologia
Leitura
JACÓ ABENÇOA JOSÉ E SEUS FILHOS

Algum tempo depois disseram a José que o seu pai estava doente. Então José foi visitá-lo, levando consigo os seus dois filhos, Efraim e Manassés. Alguém foi dizer a Jacó:
— O seu filho José veio visitá-lo.
Jacó fez um esforço e se sentou na cama. Aí disse a José:
— O Deus Todo-Poderoso me apareceu na cidade de Luz, lá na terra de Canaã, e me abençoou. Ele me disse: “Eu farei com que você tenha muitos filhos, e os seus descendentes formarão muitas nações. Eu darei esta terra aos seus descendentes para ser propriedade deles para sempre.”
E Jacó continuou dizendo a José:
— Agora, os seus filhos Efraim e Manassés, que nasceram aqui no Egito antes de eu vir para cá, esses dois me pertencem. Efraim e Manassés são meus tanto como Rúben e Simeão. Se você tiver outros filhos, eles serão seus e, por serem irmãos de Efraim e de Manassés, terão parte na herança deles. Estou fazendo isso por causa de Raquel, a sua mãe. Nós estávamos voltando da Mesopotâmia, quando, para minha infelicidade, ela morreu no país de Canaã, pouco antes de chegarmos a Efrata. Eu a sepultei ali, na beira do caminho (Efrata é agora conhecida como Belém.).
Quando Jacó viu os filhos de José, perguntou:
— E esses, quem são?
— São os filhos que Deus me deu aqui no Egito — respondeu José.
Jacó disse:
— Ponha-os perto de mim para que eu lhes dê a minha bênção.
Por causa da velhice a vista de Jacó estava fraca, e ele não podia ver bem. José levou os rapazes para perto dele, e ele os abraçou e beijou. Jacó disse a José:
— Eu pensei que nunca mais ia ver você, e agora Deus me deixou ver até os seus filhos.
Então José tirou os dois do colo do seu pai, ajoelhou-se e encostou o rosto no chão. Em seguida pegou Efraim com a mão direita e Manassés com a mão esquerda e fez com que ficassem perto de Jacó. Dessa maneira Efraim ficou do lado esquerdo de Jacó, e Manassés, do seu lado direito. Jacó estendeu os braços e cruzou-os, pondo a mão direita sobre a cabeça de Efraim, embora fosse o mais moço, e a mão esquerda sobre a cabeça de Manassés, que era o mais velho. Em seguida deu a sua bênção a José, dizendo assim:

“Ó Deus, a quem os meus pais
Abraão e Isaque serviram,
abençoa estes rapazes.
Abençoa-os, ó Deus,
tu que me tens guiado como um pastor
durante toda a minha vida até hoje.
Que os abençoe o Anjo
que me tem livrado de todo mal!
Que o meu nome seja lembrado
por meio deles
e também o nome dos meus pais
Abraão e Isaque!
Que eles tenham muitos filhos
e muitos descendentes neste mundo!”

José não gostou quando viu o seu pai colocar a mão direita sobre a cabeça de Efraim; por isso pegou a mão dele para tirá-la da cabeça de Efraim e colocá-la sobre a de Manassés. E explicou:
— Não, pai; assim não. Este aqui é o filho mais velho; ponha a mão direita sobre a cabeça dele.
Mas Jacó não quis e disse:
— Eu sei, filho, eu sei. Os descendentes de Manassés também serão um grande povo. Mas o irmão mais moço será mais importante do que ele, e os seus descendentes formarão muitas nações.
Desse modo Jacó os abençoou naquele dia, dizendo:
— Os israelitas usarão os nomes de vocês para dar a bênção. Eles vão dizer assim: “Que Deus faça com você como fez com Efraim e com Manassés.”
Dessa maneira Jacó pôs Efraim antes de Manassés. Aí disse a José:
— Como você está vendo, eu vou morrer. Mas Deus estará com vocês e os levará de volta para a terra dos seus antepassados. Eu dou Siquém a você e não aos seus irmãos. Siquém é aquela região que tomei dos amorreus, lutando com a minha espada e o meu arco.

GENESIS 48:01-22