SELEÇÕES

OFERTAS FANTÁSTICAS

quarta-feira, 31 de julho de 2013

TEOLOGIA - QUEREMOS VER JESUS

Teologia
    QUEREMOS VER JESUS

"Aonde vão as pessoas quando querem conhecer a Jesus? Qual é a glória que o cristianismo oferece? Por que as pessoas apesar de entenderem e sentirem que só Cristo é capaz de preencher o vazio do coração humano, têm medo de se comprometer com Ele?

"No dia seguinte, ouvindo uma grande multidão, que viera à festa, que Jesus vinha a Jerusalém, tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: Hosana; Bendito o rei de Israel que vem em nome do Senhor... Ora havia alguns gregos, entre os que tinham subido a adorar no dia da festa. Estes, pois, dirigiram-se a Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e rogaram-lhe, dizendo: Senhor, queremos ver a Jesus... E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado... Agora é o juízo deste mundo, agora será expulso o príncipe deste mundo. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim mesmo... E, ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele... Apesar de tudo, até muitos dos principais creram nele, mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga. Porque amavam mais a glória dos homens, do que a glória de Deus" (João 12:12,13,20,21,23,31,32,37,42,e 43).

Havia uma grande festa em Jerusalém, era a época da páscoa. Multidões chegavam de todos os cantos da Terra. Mas aquela festa espiritual tinha perdido completamente sua razão de ser. Tinha virado uma grande reunião de negócios, um grande encontro social, uma simples oportunidade de conhecer novos amigos e nada mais. Só que desta vez havia uma diferença: Jesus estaria presente; e quando Jesus está presente, tudo sai da rotina.

Naquela grande festa, onde chegavam homens de todos os cantos, chegaram também uns gregos, estes vinham de uma terra distante. Os gregos tinham uma religião pagã e cheia de idolatria. Eles criaram muitos deuses para si. Endeusavam até o conhecimento humano e a cultura. Mas parece que tudo isso não os satisfazia. A multidão de deuses que tinham não preenchia o vazio do coração. Isto os levava de uma religião à outra, buscando respostas para as inquietudes íntimas. Foi assim que acharam a religião Judaica, mas parece que esta também não preencheu o vazio que carregavam.

Olhe para os gregos: tinham deixado sua religião pagã e idólatra, e vindo para a igreja do Deus verdadeiro. Mas aquela igreja também estava perdida, confusa no meio de uma montanha de ritos, normas e detalhes. Tinha perdido de vista o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Jesus tinha vindo a este mundo para dar sentido a religião e mostrar o Pai. Mas os membros da igreja de Deus não conseguiam enxergar a Cristo. Estavam mais preocupados com os detalhes das leis, das normas, das cerimônias e dos ritos. E Jesus, a personificação da lei, estava ali, mas eles não conseguiam enxergá-Lo. A Bíblia diz: "Veio para o que era seu, e os seus não o receberam" (João 1:11).

Agora estavam ali os gregos, que tinham subido a Jerusalém buscando algo concreto e descobriram que tudo era oco por dentro, não passava de casca. O que fazer? Aonde ir? O relato bíblico diz que eles procuraram os discípulos e lhes suplicavam:

- Queremos ver Jesus.

Aqui está uma verdade que precisamos gravar no coração: quando as pessoas querem encontrar a Jesus, elas não vão à Bíblia; elas geralmente procuram um discípulo de Jesus. E é aí, na maneira como os cristãos compram ou vendem, trabalham e se comportam que essas pessoas encontram a Jesus.

Os homens estão procurando a Jesus. Este mundo precisa de Jesus. E nós, os cristãos, somos o melhor argumento que Cristo tem para convencer as pessoas de que o cristianismo funciona.

Aqueles gregos queriam conhecer Jesus. Foram a Filipe e disseram:

- Mostra-nos a Jesus. Queremos ver a Jesus.

Este mundo está caindo aos pedaços. Os seres humanos estão vendo seus filhos aprisionados em meio às drogas, ao álcool e à promiscuidade sexual. Os lares estão sendo divididos, corações estão sangrando. O ser humano não confia mais no ser humano. O povo não confia mais nos líderes. Os filhos não confiam mais nos pais. Este mundo, amigo, está de cabeça para baixo. Há pessoas sinceras que sofrem, que buscam desesperadamente um sentido para a vida. Os que precisam de Jesus não são apenas os viciados em drogas, ou os amarrados por traumas e complexos. Bons cidadãos, que pagam seus impostos, pais de família maravilhosos, também chegam à noite e não podem dormir, sentem que alguma coisa está faltando em seu coração. E muitas vezes se perguntam: "Eu não faço mal a ninguém. Eu cumpro tudo. Sou um bom marido. Sou uma boa esposa. Sou um bom pai. Sou um bom membro da igreja. Por que, quando deito à noite, sinto como se estivesse faltando alguma coisa? O que está acontecendo?

Ah querido amigo, os seres humanos, em todo o mundo, estão precisando desesperadamente de Jesus. Os ateus estão percebendo que é Jesus que está faltando em sua vida. Milhares deles na Rússia estão aceitando a Jesus e unindo-se a igreja de Deus nesta Terra.

As pessoas estão indo à morte ou enlouquecendo porque não têm um sentido para a vida. Somente Cristo é o sentido da existência da raça humana. Por isso as pessoas estão procurando os cristãos e dizendo:

- Fale-me de Jesus, queremos ver Jesus.

Como eu gostaria que você neste momento já tivesse encontrado a Jesus! É possível que você já tenha encontrado uma igreja cristã. Eu não estou muito preocupado com o fato de você já ter achado uma igreja em sua vida. Como eu gostaria que você tivesse encontrado Jesus. Não apenas uma igreja, mas Jesus como pessoa. Sei que milhares de pessoas têm um clamor silencioso no coração: "quero ver a Jesus! Mostre-me a Jesus".

Meu amigo, não sei que palavras usar para levá-lo a Jesus, para mostrar-lhe que Ele é a única saída para os conflitos existenciais, para mostrar-lhe que Ele é o único capaz de dar sentido ao cristianismo. Não sei que palavras usar para pedir que "por favor, esqueça um pouco do formalismo", "não se preocupe tanto com detalhes externos e formas", "descubra a Cristo como uma pessoa real e viva com Ele uma vida de comunhão, e como um fruto maduro dessa comunhão os detalhes externos aparecerão em sua vida".

Entremos agora num outro aspecto do texto bíblico. Quando André e Filipe levaram os gregos à Jesus, Ele disse: "...É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado" (João 12:23).

Aqui Jesus está mostrando aos gregos o caminho do cristianismo. Jesus tomou os gregos e os levou a enxergar o momento da cruz. "... É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado" (João 12:23).

Que maneira de ser glorificado! Pregado numa cruz. Jesus estava querendo mostrar aos gregos e a nós hoje que a glória de Deus é diferente da glória dos homens.

A glória dos homens é nutrida pelos aplausos, a glória de Deus é alimentada por sofrimento e lágrimas. A glória dos homens é o bem estar, mas a glória de Deus é a morte.

Como é que Jesus ia ser glorificado? Hoje o nome de Jesus é enaltecido em todos os países. Multidões curvam a cabeça diante de Jesus. Milhões de pessoas se ajoelham diante dEle. Mas não foi sempre assim. Para que a glória de Deus chegasse, primeiro viria o sofrimento, o Calvário e a morte. E o que Jesus está querendo nos ensinar é que Ele nos oferece a vida eterna, uma vida de paz e alegria que nunca terminará. Mas antes, nesta vida, você terá que aceitar a coroa de espinhos, as lágrimas, o sofrimento e a cruz. Você será crucificado pelos preconceitos deste mundo.

Quer seguir a Jesus? Estou falando de seguir de verdade e não simplesmente de vestir a camiseta de uma religião. Quer fazê-lo? Terá que passar pelo vale da sombra e da morte. Seus amigos o rejeitarão, seus familiares o abandonarão. Os seres mais queridos, em quem você mais confiava, virarão as costas para você. Quer seguir a Jesus? A glória de Deus tem um preço. Jesus levou os gregos para verem os sofrimentos futuros que eles iriam sofrer se quisessem seguir a Jesus.

Depois, novamente Jesus dirige a atenção dos discípulos para a cruz e diz: "Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo" (João 12:31).

Sabe o que Jesus estava querendo dizer? Que lá no Calvário foi decretada a derrota do inimigo de Deus.

No Calvário, quando Jesus morreu, o inimigo pensava que tinha vencido. Quando Jesus foi tirado da cruz e o Seu corpo foi enterrado, a gargalhada do inimigo ecoou no Universo. Satanás pensou que tinha vencido.

Mas ao terceiro dia Jesus ressuscitou, emergiu da morte e com Sua ressurreição deu o golpe mortal no coração de Lúcifer.

Sabe o que Jesus está dizendo? Duas coisas: nesta vida os homens podem crucificar seus sonhos, sua imagem ou seu nome. Mas por quanto tempo? Um ou dois dias talvez, mas ao terceiro dia seu nome será limpado diante do Universo todo e sua imagem será restaurada. O triunfo do inimigo não é um triunfo permanente.

Ele pode levá-lo ao vale da sombra e da morte, mas por quanto tempo? Hoje e amanhã talvez, mas ao terceiro dia você ressuscitará vitorioso.

O que Deus está querendo dizer é que se você decide segui-Lo, o inimigo pode dificultar as coisas para você, mas por quanto tempo? Hoje e amanhã talvez, mas ao terceiro dia as dificuldades desaparecerão.

Quando Cristo morreu na cruz e foi enterrado, parecia que todo Seu ministério havia fracassado, três anos de ministério para quê? Para acabar sepultado numa tumba? O inimigo lançou sua gargalhada sinistra, mas ao terceiro dia Jesus ressuscitou e o inimigo entendeu que estava derrotado para sempre.

Para terminar, veja a conclusão do capítulo 12: "E, ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele... Apesar de tudo, até muitos dos principais creram nele, mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga. Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus" (João 12:37,42,43).

Os seres humanos se dividiam em três grandes grupos naquela ocasião. O primeiro, aquele no qual estavam os gregos, correu a Jesus e disse:

- Senhor, Te confessamos como nosso Salvador, abrimos nosso coração e Te entregamos nossa vida.

O segundo grupo era o dos incrédulos que dizia:

- Não me fale de crentes, não me fale de religião. Não me fale de Bíblia.

Pessoas como estas estão sofrendo, com uma vida arruinada, vazias, ocas por dentro, mas não querem que falemos de Deus:

- Esse negócio de crente é para gente ignorante.

Estão aí em meio do desespero, da loucura, à beira do suicídio muitas vezes, mas não querem saber nada de Deus.

Assim eram os incrédulos naquele tempo, aqueles que diante dos milagres de Deus, não eram capazes de se render.

Ali estava Jesus, em pessoa, ressuscitando mortos, andando em cima da água, acalmando a tempestade, levantando paralíticos, devolvendo a vista aos cegos, curando leprosos, multiplicando pães e peixes. Mas diante de todas essas evidências, estes homens permaneciam incrédulos.

Hoje também existem homens assim. Não há nada que possamos humanamente fazer para que abram o coração a Jesus. Não há argumento. Não pense que eu vou apresentar algum argumento para convencê-lo. Se Jesus não é capaz de entrar em seu coração e de derreter o gelo da sua indiferença, não será nenhum pastor e muito menos um argumento que conseguirá fazê-lo.

Mas naquela ocasião havia um terceiro grupo de pessoas. Aqueles que creram em Jesus, mas creram somente em seu coração, não tiveram coragem de sair da arquibancada, não tiveram coragem de sair da cadeira e ir lá para a frente. E a Bíblia explica porquê: porque pertenciam a uma determinada igreja, eram líderes, tinham medo de ser expulsos, medo da rejeição da família, dos amigos, da sociedade, medo de perder o seu status social.

Precisavam de Jesus, sabiam que a única solução para eles era Jesus, mas tinham medo, "amavam mais a glória deste mundo do que a glória de Deus", diz a Bíblia.

Talvez neste momento você esteja tremendo aí em seu coração, sabe que precisa de Jesus mas não tem coragem de aceitá-Lo. O que dirão seus amigos? Será que você tem coragem de pegar a sua Bíblia e ir para a Igreja no próximo sábado? Sentir-se-ia com vergonha? Pensarão as pessoas que você virou crente? Dirão que está sendo enganado por alguns espertos?

Ah meu amigo, ao longo da história sempre houve três grupos de pessoas. Aqueles sinceros que sentindo a necessidade de Jesus correm imediatamente para os Seus braços. Aqueles incrédulos que sofrem sem Cristo, mas não querem aceitar, não querem acreditar em nada. E aqueles que crêem, mas têm vergonha de aceitar a Jesus; precisam dEle, mas têm medo de confessar o Seu nome diante dos homens, têm medo de serem expulsos de sua igreja, expulsos da sinagoga.

Em qual dos grupos está você?

Pois é amigo, seguir a Jesus nunca foi fácil. Você deve estar tremendo aí porque às vezes a gente acredita a vida toda em algo, de repente, sem querer, se encontra com Jesus no meio do caminho. A gente sabe que Ele bate à porta do coração. Sente que tem que dizer sim. E se vê tão pequeno, tão incapaz, tão impotente.

Espero que o Espírito de Deus o ajude a abrir seu coração a Jesus e dizer: "Senhor, tomo a Tua Palavra como o meu guia e estou pronto a seguir-Te até o fim."

ORAÇÃO

Pai querido, Teus caminhos às vezes são difíceis e cheios de espinhos, mas um dia conquistaste meu coração e por isso estou disposto a Te seguir. Ouve este meu clamor silencioso. Em nome de Jesus, amém.
PR. ALEJANDRO BULLÓN




SAÚDE - 20 mitos e verdades – ALIMENTAÇÃO INFANTIL

Saúde
FATOS E MITOS
20 mitos e verdades – ALIMENTAÇÃO INFANTIL
Algumas das dúvidas mais freqüentes sobre alimentação da garotada e, para acabar de vez com elas, pediu ajuda a alguns dos melhores especialistas no assunto.


1.   Suco de beterraba acaba com anemia?
Não. Uma xícara de beterraba ralada possui, pasme, apenas 0,8 miligrama de ferro. “A criança anêmica tem que consumir todo santo dia 5 miligramas do mineral para cada quilo de peso, durante três meses”, explica o pediatra Ary Lopes Cardoso, do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, de São Paulo. Já um bife pequeno de fígado tem, em média, 8,5 miligramas desse nutriente.

2. Posso colocar todos os dias um bolinho desses comprados prontos na lancheira do meu filho?
Se for sem recheio nem cobertura, vá em frente. “Eles são ótimas fontes de carboidratos”, afirma a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, em São Paulo. Mas, se pertencer à categoria dos recheados, a coisa muda de figura. Para obter a consistência cremosa, os recheios são produzidos com gordura hidrogenada, verdadeiro veneno. Em altas quantidades, leva à obesidade e ao aumento do colesterol (sim, criança também pode acumular essa substância nas artérias). Para variar, experimente substituir os bolos por bolachas salgadas ou um sanduíche.

3. Crianças de qualquer idade podem comer frutos do mar?
“De jeito nenhum. Por uma questão de segurança, espere que complete 2 anos”, orienta Priscila Maximino. Os principais riscos são a intoxicação alimentar e as alergias. É bem verdade que cozinhar ou assar esse tipo de alimento diminui o perigo, mas, como seguro morreu de velho, é melhor evitar.

4. Café faz mal para os baixinhos?
A bebida não é das mais indicadas, porque a cafeína pode deixar a criança agitada. “Porém, uma xícara pequena de café puro por dia não faz mal a ninguém”, afirma Ary Lopes, para alívio das mães que não abrem mão do pretinho misturado com o leite. Se você já ouviu dizer que ele prejudica a absorção de cálcio, saiba que não há razão para se preocupar. “A quantidade de cafeína presente em um copo de café com leite é tão pequena que não interfere na retenção do mineral pelo organismo”, esclarece o nutrólogo e pediatra Mauro Fisberg, da Universidade São Marcos, em São Paulo.

5. O leite de soja pode substituir o de vaca?
“Sim, se o problema for intolerância à lactose”, explica Renata Cocco, pediatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Se não, o de vaca é melhor, porque tem mais cálcio.” É bom saber, ainda, que um grupo de proteínas do leite de vaca, as caseínas, pode provocar reações como urticária. Por isso, em caso de dúvida, consulte o pediatra. Só ele pode pode recomendar o tipo de leite mais adequado para a sua criança.

6. Meu filho adora peixe cru. Tudo bem?
Acima de 2 anos, tudo bem. “Para não arriscar, só vá a restaurantes impecáveis no que se refere à higiene”, recomenda Ary Lopes. Caso a preferência recaia sobre o salmão — que andou na berlinda como agente da difilobotríase (doença que provoca dor abdominal, náuseas e vômitos) —, cheque se foi previamente congelado a 21 graus e se o estabelecimento tem o certificado sanitário, que garante a procedência e a qualidade do pescado.

7. Alimentos com corantes causam alergia?
A resposta é não para a grande maioria dos baixinhos. Além dos corantes, os espessantes e os conservantes, encontrados nos produtos industrializados, também são mal-afamados. “Mas testes comprovam que apenas 5% dessas substâncias estão relacionadas a crises alérgicas”, revela a pediatra Renata Cocco. “Já os alérgicos ao ácido acetilsalicílico, componente da aspirina, precisam tomar cuidado, porque tendem a apresentar reações aditivos alimentares.”

8. A carne vermelha é essencial para a criança crescer saudável?
“Sim, ela é uma importante fonte de proteínas, gordura, ferro e zinco”, confirma a médica Roseli Sarni, presidente do departamento científico de nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria. Contra anemia, ela é imbatível. Está lotada do chamado ferro-heme, ou ferro orgânico, que é muito mais bem aproveitado pelo corpo do que o mineral presente nos vegetais. Segundo a especialista, a anemia afeta mais de 40% das crianças em idade pré-escolar no Brasil. Por isso a carne vermelha deve ser consumida ao menos três vezes por semana, de preferência acompanhado de uma fonte de vitamina C, como a laranja, para aumentar a absorção do ferro. O frango e o peixe são bons substitutos, mas, fique sabendo, não contêm a mesma concentração do tal ferro-heme.

9. Refrigerante diet e guloseimas adoçadas artificialmente devem ser evitados?
"Não há nenhum componente nesses produtos que seja comprovadamente nocivo à saúde”, afirma a pediatra Renata Cocco. Nenhum estudo concluiu, por exemplo, que aspartame faça mal ao organismo dos pequenos.“Mas, por serem artificiais, recomendamos que esses alimentos sejam consumidos só quando realmente há necessidade", explica a pediatra.

10. Gemada é capaz de dar pique?
Ela foi a queridinha das mães zelosas até alguns anos atrás. Não é mais, até porque nem mesmo os especialistas a recomendam. “O ovo cru pode estar contaminado com salmonela”, adverte a nutricionista infantil Suzy Graff, de São Paulo. “A bactéria pode provocar diarréia, vômito ou até levar à morte.” Infelizmente, ovos de diversas marcas podem estar contaminados por causa de higiene e refrigeração deficientes. Como é quase impossível saber quais têm condições de consumo, o mais seguro é fritá-los ou, melhor ainda, cozinhá-los.
11. É verdade que alimentos crus e duros ajudam a desenvolver a musculatura da boca?
“Sim, eles estimulam a mastigação, fortalecendo os músculos e facilitando a fala”, diz Renata Cocco. Quando introduzir a sopa na dieta do bebê, em vez de bater os ingredientes no liquidificador, experimente passá-los na peneira. Depois que seu filho estiver mais crescido, amasse os alimentos com um garfo para que possam ser mastigados. E, assim que alguns dentes tiverem nascido, ofereça alimentos crus, como a cenoura e a maçã, em pequenos pedaços — esta última dica, aliás, vale para todo o resto da infância e a adolescência.

12. Leite fermentado ajuda a combater a diarréia?
“Sim, os lactobacilos presentes no leite fermentado competem com as bactérias nocivas no organismo, modificando e colonizando a flora intestinal com germes benéficos”, informa o nutrólogo Mauro Fisberg, de São Paulo. Assim, o consumo desse tipo de bebida pode abreviar a duração da diarréia. Se o problema persistir, procure o pediatra.

13. Jantar muito tarde provoca sono agitado?
A chance de isso acontecer é grande, principalmente se a refeição for rica em gordura, que leva mais tempo para ser digerida, e a criança for para a cama logo depois de comer. Durante o sono, o organismo funciona mais lentamente e isso inclui a digestão. O estômago, então, fica mais pesado e chega a incomodar. “Já uma refeição com baixo teor de gordura leva pelo menos duas horas para ser digerida”, afirma Ary Lopes Cardoso. “Após esse período a criança pode se deitar tranqüilamente”, completa o médico.

14. O que a mãe deve observar no rótulo – o índice de gordura ou o de sódio?
Os dois. Não há uma dosagem máxima recomendada por produto — e, se houvesse, ela seria diferente conforme a idade. Mesmo assim é bom ficar de olho nesses ingredientes. A gordura, lembre-se sempre, não pode fornecer mais do que 30% das calorias diárias consumidas pela criança. Não precisa ficar fazendo conta a toda hora: basta usar o bom senso e, se oferecer algo com teor de gordura nas alturas ao seu filho, cuidar para que o restante do cardápio daquele dia seja mais leve. Para o sódio, vale o mesmo raciocínio, lembrando que até 12% da meninada entre 6 e 18 anos é hipertensa — e aí o excesso de sal, já sabe… Vale conversar com o pediatra sobre o assunto, afastar essa hipótese e pedir uma orientação sobre o consumo diário de sal adequado para o seu filho.

15. É melhor comer frutas com ou sem casca?
“O mais indicado é consumi-las com casca, quando possível, porque ela é uma ótima fonte de fibras”, garante Fábio Ancona Lopes, especialista em nutrição infantil da Unifesp. Mas enfatiza: as frutas devem ser muito bem lavadas em água corrente e com a ajuda de uma escovinha, para que fiquem livres de resíduos de agrotóxicos, substâncias extremamente prejudiciais.

16. Os macarrões instantâneos são liberados?
“A massa em si não faz mal nenhum, pois é uma excelente fonte de carboidratos”, afirma a médica Roseli Sarni. O problema está no condimento que dá sabor e faz com que o prato seja um dos preferidos da garotada. “Além de ser um tempero artificial, ele contém grande quantidade de sódio, que leva ao aumento da pressão e à retenção de água.” Em outras palavras, poder pode, mas só de vez em quando.

17. Vale a pena incluir aqueles pós multivitaminados na alimentação dos meus filhos?
“Esses pós devem ser ingeridos como complementos da alimentação só se a criança apresentar déficit de nutrientes ou estiver abaixo do peso.”, diz Mauro Fisberg. Eles são indicados principalmente quando é necessário aumentar o aporte de calorias, vitaminas ou sais minerais no organismo. O ideal é que esse tipo de suplemento seja utilizado sob a orientação de um nutricionista, já que é muito calórico.

18. As informações estampadas nas embalagens se referem às necessidades nutricionais de crianças ou de adultos?
“Em geral elas se referem às necessidades dos adultos, exceto quando os produtos são dirigidos ao público infantil”, esclarece Fábio Ancona Lopes. “O importante é saber que cada idade requer tipos e quantidades específicos de nutrientes”, completa. E as recomendações mais indicadas para cada faixa só o especialista pode fazer. Moral da história: vale olhar o rótulo? Até vale, mas apenas para ter uma leve referência quando o consumidor é uma criança.

19. Sopas prontas substituem uma refeição?
“De jeito nenhum. A quantidade de fibras e nutrientes presente nesses produtos é muito pequena”, diz categoricamente a nutricionista Priscila Maximino. Sem falar no alto teor de sódio. Se numa hora de aperto você precisar recorrer à praticidade desse tipo de refeição, trate de complementá-la com uma porção de carne, outra de legumes e uma fruta. Lembre-se: nada como a velha e boa sopa caseira, preparada com ingredientes fresquinhos.

20. Quantas vezes por semana doces e refrigerantes podem entrar no cardápio?
Depende. “Se a criança estiver acima do peso, ofereça duas porções de desses itens por semana”, recomenda a nutricionista Priscila Maximino. Mas, se ela não vive em pé de guerra com a balança, três porções semanais estão de bom tamanho. “Esses alimentos devem ser oferecidos com muito mais parcimônia em caso de colesterol ou triglicérides altos ou mesmo hipertensão”, completa.

 Beth Fernandes


terça-feira, 30 de julho de 2013

SAÚDE - CONHEÇA DEZ SINAIS DE ALERTA PARA A BAIXA IMUNIDADE

Saúde
CONHEÇA DEZ SINAIS DE ALERTA PARA A BAIXA IMUNIDADE
Unhas fracas, queda de cabelo, cansaço, problemas de pele... Se você apresenta um ou mais desses problemas, deve imaginar que está com a imunidade baixa, certo? Na verdade, não é tão simples assim. Sinais como esses podem ser muito vagos, já que podem significar uma infinidade de complicações, doenças e até fatores genéticos, que pouco têm a ver com uma imunodeficiência.

A médica imunologista Elisabete Blanc, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da UFRJ, conta que a baixa imunidade pode ser de causa primária, ou seja, quando a pessoa já nasce predisposta pela genética. "Por outro lado, pessoas que são saudáveis, em um dado momento da vida, podem se expor a situações que levem à dificuldade do organismo em manter um equilíbrio imunológico", completa.

Exemplos dessas situações vão desde maus hábitos a tipos específicos de tratamentos: uso de medicamentos que suprimem a imunidade, exposição à radiação, quimioterapia, má alimentação, uso de drogas, consumo de álcool, excesso de exercício físico, estresse prolongado, doenças que levam a uma grande perda de proteínas - substâncias que são "a matéria prima dos anticorpos", como explica Elisabete -, doenças crônicas, deficiências de vitaminas, falta de repouso adequado, entre muitos outros fatores.  


Como saber, então, se você realmente está com o sistema de defesa comprometido? De acordo com o clínico geral Fernando Manna, do Laboratorio NASA, não existe um exame único capaz de detectar se a pessoa está com a imunidade prejudicada. "O ideal é procurar um médico ao perceber sintomas recorrentes ou persistentes. O exame clínico realizado pelo médico assistente, aliado à queixa e evolução de sintomas, são orientadores na solicitação de exames", completa.

É mais fácil, portanto, perceber que o sistema imunológico está pedindo ajuda quando há repetições de várias complicações no organismo, que demoram a ir embora. A diminuição da resistência orgânica cria condições para o desenvolvimento frequente de doenças. Se a pessoa apresentar um mesmo problema - ou mais de um - diversas vezes, deve procurar um profissional.


A lista dos sinais alarmantes
Ainda assim, não é tão simples a detecção, uma vez que repetir demais uma complicação não é certeza de uma queda na imunidade. Um indivíduo pode ter as unhas fracas durante meses, por exemplo, mas isso pode ser apenas consequência de má higiene ou falta de alguns nutrientes na alimentação.  
Por isso, vale ficar mais atento aos sintomas decorrentes de doenças que são mais comuns quando as defesas do organismo estão frágeis. Confira exemplos dados pelo clínico geral Fernando Manna e a imunologista Elisabete Blanc: 

Boca: herpes, amigdalite e estomatite 

Pele: infecções recorrentes, abscessos, doenças gerais causadas por fungos, vírus e bactérias 

Ouvido: otites

Região genital: herpes 

Sistema respiratório: gripes e resfriados 

A percepção da imunodeficiência fica ainda mais clara com a lista da Fundação Jeffery Modell e a Cruz Vermelha Americana, elaborada para guiar médicos e profissionais no diagnóstico de pacientes. Elisabete explica que, ao apresentar um ou mais desses itens abaixo, a pessoa já deve ser investigada. 
1.  Duas ou mais pneumonias no último ano 
Os sintomas da infecção no pulmão costumam ser: febre muito alta, calafrios, tosse com expectoração, falta de ar, dor no peito, vômitos, prostração, perda de apetite e dores no corpo. 

2. Oito ou mais otites no último ano 
A inflamação é provocada pelo acúmulo de líquido no ouvido. Há vários tipos de otite, que podem apresentar os seguintes sintomas: dor intensa, diminuição da audição, secreção, coceira, febre, falta de apetite, entre outros. 

3. Estomatites de repetição ou monilíase por mais de dois meses 
A estomatite pode ser percebida por lesões na boca e gengivas. Já a Monilíase é uma infecção causada por fungos e apresenta pontos brancos e escamosos em qualquer área da região bucal: língua, bochechas, gengivas ou lábios. 

4. Abscessos de repetição ou ectima 
O acúmulo de pus na pele em determinada área do corpo é conhecido como abscesso, também chamado de furúnculo. A ectima é uma infecção bacteriana que acontece, geralmente, por falta de higiene, com lesões que costumam acontecer com maior frequência nas pernas e nos pés. 
5. Um episódio de infecção sistêmica grave:meningite, osteoartrite ou septicemia
Essas infecções comprometem o organismo como um todo e podem ser perigosas. A meningite é uma inflamação das meninges, membranas do encéfalo e da medula espinhal e pode ser causada por vírus ou bactérias.

A osteoartrite, por sua vez, é caracterizada por problemas que alteram as juntas dos joelhos, quadris, mãos e coluna vertebral, prejudicando o movimento.

Já a septicemia é uma infecção generalizada que se espalha por todo o organismo, por causa de bactérias que infectam o sangue.

6. Infecções intestinais de repetição ou diarreia crônica
O mau funcionamento do intestino pode ser causado por vários fatores, como alimentação ruim e problemas emocionais. No entanto, frequentes diarreias e problemas intestinais, relacionados a infecções, são mais preocupantes e podem ser indícios de imunodeficiência.

7. Asma grave, doença do colágeno ou doença autoimune 

Tanto a doença do colágeno quanto a doença autoimune, representam um grupo de doenças que faz o organismo produzir anticorpos contra ele mesmo, o que provoca uma queda na imunidade.

8. Efeito adverso ao BCG e/ou infecção por micobactéria 
Esse caso diz respeito, principalmente, a crianças que têm reação da vacina BCG, contra tuberculose. A pele pode não cicatrizar após a vacina ou a criança pode sofrer com própria bactéria que dá a tuberculose.  
9. Quadro clínico associado à imunodeficiência
Nesse tópico entram as mais variadas doenças e síndromes que podem ter relação com o sistema imunológico. "O médico poderá suspeitar de acordo com o histórico da pessoa e da predisposição genética", completa a imunologista.

10. História familiar de imunodeficiência
Pessoas que possuem casos na família de baixa imunidade também devem ficar mais atentas às respostas do organismo para doenças e, de preferência, fazer uma avaliação médica.  Informações R7


SAÚDE - Nove alimentos para deixar a imunidade nas alturas

Saúde
Alimentação
Nove alimentos para deixar a imunidade nas alturas

Sua imunidade anda baixa? Ou, melhor ainda, você não quer dar chance para que nenhum mal afete a sua saúde? Aposte em um prato de comida bem equilibrado, principalmente com os ingredientescertos. "Os alimentos são ricos em vitaminas, minerais e outras substâncias que auxiliam na manutenção do sistema imunológico", afirma Ioná Zalcman, mestre em nutrição pela Universidade Federal de São Paulo.
De acordo com a nutricionista, atingir a recomendação diária de consumo de frutas e vegetais já garante uma defesa melhor. "O consumo deve ser de cinco porções por dia: três frutas e dois vegetais", completa. A seguir, confira a lista de campeões da blindagem e conheça os motivos que tornam esses alimentos poderosos aliados do organismo. 
Frutas cítricas, como laranja, acerola, kiwi, tomate, além de brócolis, couve e pimentão verde e vermelho são ricos em vitamina C, antioxidante que aumenta a resistência do organismo.
Vegetais verdes escuros (brócolis, couve, espinafre), feijão, cogumelo (shimeji) e fígado são alguns dos alimentos que apresentam ácido fólico. O nutriente auxilia na formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo.
Carne, cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), são ricos em zinco, nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico.
Noz, castanha, amêndoa e óleos vegetais (de girassol, gérmem de trigo, milho e canola) são ricos em vitamina E. Ela é benéfica, principalmente para os idosos, agindo no combate à diminuição da atividade imunológica por conta da idade.
Rico em licopeno, o tomate é forte aliado para combater doenças cardiovasculares, removendo radicais livres do organismo.
O ômega-3 presente, por exemplo, no azeite e no salmão, auxilia as artérias a permanecerem longe de inflamações, ajudando a imunidade do corpo.
A castanha-do-Pará e cogumelos (Champignon) contêm selênio, um forte antioxidante que combate os radicais livres, melhorando a imunidade do corpo e acelerando a cicatrização do organismo.
Rico em vitaminas C, B6 e com ação bactericida, o gengibre vai além de ajudar a tratar inflamações da garganta e auxilia nas defesas do organismo.
A pimenta é fonte de betacaroneto, substância que se transforma em vitamina A, nutriente que protege o organismo de infecções



segunda-feira, 29 de julho de 2013

ALIMENTAÇÃO - O papel da dieta na prevenção da gripe

Saúde
ALIMENTAÇÃO
O papel da dieta na prevenção da gripe
Com a chegada do outono-inverno muitas pessoas têm um reencontro com uma velha e temida inimiga: a gripe. Nariz escorrendo, tosse, dores de cabeça e garganta, perda do paladar e olfato, fraqueza, febre. Muitas vezes é difícil escapar desses transtornos, já que neste período as pessoas se juntam mais e fecham as janelas e portas, o que facilita a propagação do vírus suspenso no ambiente.
Saiba diferenciar gripe de resfriado

A gripe e o resfriado são infecções causadas por vírus e podem afetar vários locais das vias aéreas (nariz, garganta, laringe, faringe, seios paranasais, traquéia). Dos inúmeros vírus que causam o resfriado (mais de 200 tipos), o mais comum é o rinovírus. Já a gripe é causada pelo vírus influenza e apresenta sintomas muito mais severos do que o resfriado, deixando na maioria das vezes a pessoa de cama, sem condições de estudar ou trabalhar. 

Portanto, ao contrário do que muitas pessoas pensam, gripe e resfriado são problemas diferentes. A forma mais fácil de distinguir as duas doenças é observando os sintomas: na gripe a febre é mais elevada e duradoura, as dores de cabeça e pelo corpo, o cansaço e a tosse seca são bem pronunciados e a evolução é mais prolongada. Além disso, a gripe não é uma doença com a benignidade que a maioria das pessoas imagina. Em crianças, idosos ou em pessoas imunodeprimidas (com sistema imunológico comprometido), pode ser grave e até causar a morte.

As gripes e resfriados se espalham quando os vírus são liberados no ar pela tosse e pelo espirro ou transferidos para superfícies através do contato. Ao entrar em ação, o vírus ataca as células que revestem o aparelho respiratório, que reage aumentando a produção de muco constituído por glóbulos brancos que vão tentar combater o avanço do mal. O muco protege e limpa as vias aéreas, mas muitas vezes o vírus pode driblá-lo e avançar livremente até os pulmões, onde causam uma inflamação, levando à pneumonia.

Para quem quer ficar bem longe de todos esses problemas, alguns conselhos básicos devem ser seguidos, já que as baixas temperaturas e a deficiência do sistema imunológico, apontados como principais causadores da gripe, podem ser driblados com alguns cuidados que incluem hábitos saudáveis de vida.
O papel da dieta na prevenção da gripe

Uma boa alimentação pode ajudar a prevenir gripes e resfriados, e mesmo para quem já está com os sintomas, alimentar-se bem pode encurtar a duração dessas doenças. A alimentação saudável, rica em alimentos fontes de vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes, fortalece o sistema imunológico e cria defesas orgânicas para combater o vírus. 

Por isso, para quem quer ficar livre desses dois problemas, a dica é adotar uma dieta equilibrada e variada, baseada em frutas, vegetais folhosos, legumes, grãos integrais (cereais e leguminosas), carnes magras, peixes e aves sem pele, ovos, leite e derivados, de preferência com pouca gordura.

Dentre as vitaminas e minerais que atuam fortalecendo nosso sistema imunológico destacaremos aqui as vitaminas A, C, E e os minerais zinco e selênio. Veja as principais funções imunológicas de cada um desses nutrientes e em quais alimentos são mais encontrados.
VITAMINA A = apresenta um papel muito importante na manutenção da integridade das membranas mucosas. Sua deficiência provoca uma redução do número de linfócitos T circulantes, aumentando a probabilidade de infecções bacterianas, virais ou parasitárias. Os alimentos ricos nessa vitamina são: cenoura, abóbora, fígado, batata doce, damasco seco, brócolis, melão.
VITAMINA C = estimula a resistência às infecções através da atividade imunológica de leucócitos. Aumenta a produção dessas células de defesa, que tem efeito direto sobre bactérias e vírus, elevando a resistência à infecções. Acerola, frutas cítricas (limão, laranja, lima), kiwi, caju, tomates e vegetais folhosos crus são fontes excelentes. Morangos, repolho e pimentão verde são boas fontes. É facilmente destruída pela luz e pelo calor. Um suco de laranja com acerolas, por exemplo, deve ser consumido imediatamente após preparo para que não haja grande perda da vitamina C.
VITAMINA E = tem a capacidade de interagir com as vitaminas A e C e com o mineral selênio, agindo como antioxidante. Sua função primordial é proteger as membranas celulares contra substâncias tóxicas, radiação e os temerosos radicais livres que são liberados em qualquer reação química do organismo e podem causar sérios danos às estruturas das células, detonando o processo de envelhecimento e desencadeamento de algumas formas de carcinogênese. Alimentos ricos em vitamina E são o germe de trigo (fonte mais importante), óleos de soja, arroz, algodão, milho e girassol, amêndoas, nozes, castanha do Pará, gema, vegetais folhosos e legumes.
ZINCO = esse mineral atua na reparação dos tecidos e na cicatrização de ferimentos. Uma deficiência de zinco resulta em diversas doenças imunológicas; a deficiência grave causa linfopenia (grande diminuição do número de linfócitos). Fontes alimentares importantes de zinco são as carnes, peixes (incluindo ostras e crustáceos), aves e leite. Cereais integrais, feijões e nozes são também boas fontes.
SELÊNIO = assim como a vitamina E, esse mineral possui grande capacidade antioxidante, ou seja, neutraliza a ação dos radicais livres (formados devido a ação dos raios solares, poluição, fumaça de cigarro, entre outros) no nosso corpo, retardando o processo de envelhecimento e evitando o desencadeamento de algumas formas de câncer. Castanha do pará, alimentos marinhos, fígado, carne e aves são os alimentos mais ricos em selênio.

Probióticos e prebióticos: sua função no sistema imune

O intestino humano é um ecossistema microbiano intensamente populoso. Em condições normais, centenas de espécies de bactérias estão presentes, com números típicos de 1011-1012/g. 

Essa microbiota intestinal tem um papel muito importante sobre o sistema imunológico. Uma microbiota saudável, constituída principalmente por lactobacilos e bifidobactérias promove o desenvolvimento de anticorpos e ativação de linfócitos, células de defesa do nosso corpo que atuam combatendo principalmente infecções virais. Ao contrário, uma microbiota desequilibrada, com predominância de bactérias prejudiciais como por exemplo as enterobactérias, permite a invasão da mucosa intestinal por microorganismos patogênicos, causadores de infecções e doenças. Estudos mostram que esse desequilíbrio pode também causar ativação de carcinógenos em nosso corpo.

Alimentos enriquecidos com probióticos (microorganismos vivos do tipo lactobacilos e bifidobactérias) e prebióticos (componentes extraídos de certos vegetais conhecidos como inulina, oligossacarídeos, frutooligossacarídeos) promovem a colonização do trato intestinal com bactérias benéficas, melhorando o funcionamento do sistema imunológico, reduzindo o risco de inúmeras doenças, entre elas, as gripes e resfriados.

Dicas para fugir da gripe

A seguir, algumas dicas que poderão ajudar a prevenir ou atenuar os sintomas de gripes e resfriados:

- Tenha hábitos alimentares saudáveis;
- Consuma pelo menos 5 porções de frutas e outros vegetais todos os dias;
- Consuma alimentos enriquecidos com probióticos e prebióticos;
- Ingira pelo menos de 8-10 copos de água/dia. A água deixa os cílios pulmonares mais fortes e amolece o muco, facilitando o trabalho desses cílios;
- Faça lavagens nasais com solução fisiológica e estimule, principalmente crianças, a assoar o nariz sempre que possível;
- Não administre descongestionantes, anti-inflamatórios ou xaropes sem consultar um médico;
- Crianças e idosos devem ser vacinados de preferência no início do outono, no período de março a maio;
- Se você estiver com gripe, o repouso é fundamental para uma recuperação mais rápida. 

Jocelem Salgado


ALIMENTAÇÃO - É POSSÍVEL ATRAVESSAR O INVERNO SEM GANHAR PESO

Saúde
ALIMENTAÇÃO
É POSSÍVEL ATRAVESSAR O INVERNO SEM GANHAR PESO

O inverno está chegando e com ele vem a nossa preocupação para que as pessoas não abandonem seus hábitos saudáveis de vida, como a ingestão de uma dieta equilibrada e a prática de atividade física regular.

A relação entre inverno e ganho de peso é muito conhecida por todos nós, especialistas que trabalham nessa área. É comum observarmos homens e mulheres reclamando que sentem mais fome e que não encontram motivação para se exercitar, quando as baixas temperaturas ficam frequentes.
O fato do corpo estar menos exposto durante essa estação, coberto por roupas pesadas que escondem o excesso de gordura, faz com que muitos deixem de lado as boas práticas de vida, sem se importarem com a saúde e os danos à estética. O resultado todos já sabemos, os ponteiros da balança vão lá para cima.
A nossa experiência mostra que muitas pessoas entrarão em desespero quando no verão, os casacos forem trocados por roupas mais leves, biquínis ou sungas. As mulheres, principalmente, irão se arrepender amargamente dos excessos praticados nos meses anteriores e tentarão iniciar uma verdadeira batalha contra a balança, a fim de eliminar em poucas semanas, todo o peso adquirido.  Na ânsia de perder rapidamente esses quilos a mais, muitas colocarão a própria saúde em risco, fazendo regimes de fome ou consumindo drogas anorexígenas, que podem causar dependência química.

Estudos científicos feitos nas últimas duas décadas com o objetivo de avaliar o efeito das mudanças de hábito durante os períodos mais frios do ano, mostram que há uma tendência de terminar o inverno com dois a cinco quilos a mais. Sabendo disso, o objetivo desse nosso artigo é mostrar que inverno não é sinônimo de ganho de peso, e que é possível chegar ao final dessa estação numa boa com o seu corpo, sem que para isso você deva se privar das tentações dessa época como os fondues, queijos e vinhos.
No inverno sentimos mais fome?


No inverno nosso organismo gasta mais energia para a manutenção da temperatura corporal. Sabendo disso, existem pessoas que acreditam que sentem mais fome nessa estação, pois precisam repor calorias para compensar esse gasto energético adicional. Na verdade, essa elevação do gasto energético é discreta, não sendo grande o suficiente para justificar o aumento da ingestão de calorias. Acredita-se que no Brasil, onde o inverno é mais ameno, esse aumento não chegue a 10% do gasto diário calórico para manter o organismo funcionando. Isso, portanto, não serve de desculpa para aqueles que acabam exagerando e se entupindo de alimentos altamente calóricos.

Mas porque durante os dias mais frios temos a sensação que estamos com mais fome do que nos dias quentes? De acordo com estudos, a fome que sentimos está relacionada com a necessidade do organismo se adaptar à temperatura ambiente. No inverno, a necessidade de repor água é menor que no verão, por isso muitas pessoas reduzem o consumo de frutas e saladas, que não aquecem o organismo conforme a necessidade, e passam a dar preferência a alimentos mais quentes, calóricos e com digestão mais lenta, que proporcionam sensação de saciedade por mais tempo.

Contudo, os estudos destacam que o principal fator relacionado ao aumento do apetite nos dias mais frios tem a ver com a relação emocional que temos com a comida. Muitas pessoas buscam na comida quente (e quase sempre mais calórica do inverno) aconchego e prazer. Basta a temperatura cair alguns graus para observarmos famílias inteiras espremidas nas mesas de restaurantes ou pizzarias consumindo com nenhuma moderação massas, fondues, chocolate quente, vinhos, entre outras delícias altamente calóricas. Quando não decidem sair, o melhor programa para muitos é ficar enroladinho no cobertor, em
frente à TV, de preferência comendo/bebendo algo quentinho e com certeza muito calórico.
Espante a preguiça e mexa-se!


Quando a estação mais fria do ano começa a chegar, é comum observarmos um aumento do sedentarismo entre as pessoas. Basta os termômetros registrarem temperaturas mais baixas, para que muitos interrompam a ida à academia ou deixem de fazer suas caminhadas diárias.  No inverno, grande parte das pessoas se torna mais preguiçosa para a prática de esportes e acaba preferindo o cobertor, a lareira, um bom filme, e é claro, um belo saco de pipocas.

De acordo com um estudo com mais de 350 praticantes de atividades físicas realizado em São Paulo, 50% das pessoas que começam a praticar atividades físicas abandona o hábito após um período de seis meses a um ano, e geralmente isso ocorre na época das estações mais frias como outono e inverno. De acordo com a pesquisa, a estética seria um dos principais fatores responsáveis pelo problema, pois as pessoas sentem-se mais motivadas à prática de esportes no verão, quando o corpo está mais exposto e a cobrança pela boa forma física é maior.

O que muitos esquecem é que para chegar em forma no verão, é necessário cuidar do corpo a partir de agora, nos meses mais frios, uma vez que perder peso, e principalmente definir músculos e abdome, leva tempo. Por isso, mesmo nos dias mais frios, não podemos ter preguiça de jogar bola com os amigos, andar de bicicleta no parque ou ir à academia. Atividades físicas espontâneas ou programadas são muito úteis para aumentar nosso gasto calórico e nos permitir comer as delícias dessa estação.

Uma dica valiosa para quem quer se mexer nesse inverno é fazer um bom aquecimento antes de iniciar a atividade física, utilizando-se de exercícios de alongamento e exercícios leves aeróbios que envolvam grandes grupos musculares. Isso é importante porque no inverno a musculatura fica mais contraída e, consequentemente, mais vulnerável às lesões. Outra dica é manter uma ingestão de líquidos adequada, mesmo que não tenha sede, pois isso ajuda a manter a temperatura no nível normal.
Drible as calorias no inverno


Para não chegar na primavera com medo de o zíper não fechar, é necessário ficar de olho nas armadilhas que o frio traz, que podem comprometer a silhueta. Uma delas é a escolha dos alimentos. Podemos consumir todas as delícias típicas do inverno, sim, mas com moderação e bom senso.

Para esquentar o corpo, os alimentos quentes são sempre bem-vindos, por isso, preparei algumas dicas de uma boa alimentação e substituições que você pode fazer para manter-se em forma e chegar no verão com tudo em cima.
  • Substitua o chocolate quente por um chá com adoçante; se não resistir, prepare o chocolate com leite desnatado e achocolatado diet;
  • Dê preferência ao founde de queijo preparado com leite desnatado e queijos magros. Sirva-o com legumes como cenoura, pepino, cogumelos, etc. Osfoundes de chocolate devem ser preparados também com leite desnatado e chocolate diet e servido com frutas diversas;
  • Substitua os queijos amarelos pelos brancos ou light;
  • Substitua alimentos fritos por grelhados ou cozidos;
  • Se receber um convite para uma feijoada, não deixe de ir, mas coma com moderação, evitando consumir as carnes gordurosas presentes no prato. Abuse de acompanhamentos como couve cozida, laranja em pedaços e o famoso vinagrete, temperado com limão e pouco sal;
  • Abuse das sopas e caldos, preparando-os com legumes e verduras de sua preferência. Evite utilizar creme de leite, torradas, queijo ralado ou massas;
  • Substitua os doces por frutas diversas. Se preferir uma sobremesa quente, prepare banana ou maçã com canela assadas no forno ou microondas.  
  • Para diminuir a sensação de fome, aumente o consumo de fibras, que além de ajudar no funcionamento do intestino, proporciona uma sensação de saciedade prolongada; 
  • Modere o consumo de bebidas alcoólicas. Lembre-se que elas são fontes de calorias vazias, ou seja, fornecem calorias ao seu organismo sem nenhum nutriente. O consumo de uma taça de vinho tinto por dia faz bem ao coração e aquece o corpo;
  • Fracione sua alimentação: alimente-se a cada 3 horas de forma moderada (consumindo quantidades pequenas);
  • Beba muita água, mesmo que não tenha sede.
Prepare-se para o próximo verão agora


Você já deve ter ouvido essa frase “Não deixe para depois o que você pode fazer hoje”. Ela vale para aqueles que se esquecem do corpo e da saúde nas estações mais frias, acreditando que no verão tudo vai ser diferente. Para aqueles que querem fazer bonito na estação do calor, os cuidados com o corpo devem começar agora.  Devemos ter em mente que o consumo de uma alimentação equilibrada e a prática de uma atividade física regular vale para o ano todo e não somente quando a nossa silhueta está mais exposta.

Provavelmente, aqueles que não são adeptos da frase acima, sofrerão as consequências dos exageros cometidos no inverno e se submeterão posteriormente aos riscos do emagrecimento relâmpago, que está ligado ao efeito sanfona e a alterações no metabolismo, que fica mais lento.

Não é isso que queremos para nós, não é mesmo? Por isso, para que não caiamos nas armadilhas das estações mais frias, vamos deixar a preguiça de lado, nos movimentar mais e comer de formar correta e sem exageros.

Para que tenhamos mais ânimo e estímulo, basta pensar que logo o verão estará aí, e com ele, o seu corpo em forma e com muita saúde.
Jocelem Salgado